Valeria Soares da Silva

poeta e contista, Prof.de Literatura e Língua Portuguesa (UGF) com MBA em Gestão e Empreendedorismo na Educação (UFF) e Gestora Pública em educação.

Viver é preciso

CRÔNICA Por Valéria Soares   Ainda que criada em família católica, não fui incentivada à tradicional celebração do Dia de Finados. Não visitávamos túmulos e não levávamos flores. Íamos à igreja e minha mãe acendia uma vela aos seus mortos,…

Superpoderosas

POEMA Por Valéria Soares   Lunares Estrelares solares preciosas. Assim somos Impossíveis de definição rápida De conhecimento superficial. Ser mulher é ter uma voz única Mas também plural É entender de empatia De se sentimentos E de eficiência. É ser…

Identidade

POEMA Por Valéria Soares   Eu sou a realização do projeto Eu sou a concretização do planejamento Eu sou a voz do sonho Eu sou o desejo de mudança Eu sou a mão que conduz Eu sou o abraço que…

De Primavera, mas não de flores

CONTO Por Valéria Soares   Estamos na estação mais feminina do ano. Não só porque ela se enfeita e torna-se caprichosamente colorida mas também por apresentar um temperamento sedutor e imprevisível. Talvez, vivendo na serra, este comportamento seja mais perceptível,…

Retrato

CONTO Por Valéria Soares   De pipa para Pernambuco pela estreita estrada, seguimos. Nada no peito a não ser a batida do novo. Um beat surdo que ecoa único em cada ouvido. Seguimos. Somos expectativa e viagem. Os olhos decifram…

Percepção

CONTO Por Valéria Soares   Enxergo poesia, vejo histórias em todos os lugares, se viajo, escrevo mentalmente, histórias que jamais tomaram forma na tela ou no papel. Quanto mais longa a viagem, mais tempo em silêncio com meus pensamentos. Entretanto,…

Encantamento

CULTURA Por Valéria Soares   As ruas de Olinda aconchegam, atraem. Exigem olhos sensíveis para tanta arte, para tanta diversidade de expressão. Suas ladeiras desenham sinuosas curvas ora à direitas ora à esquerda. É preciso subir, erguer o olhar para…

Decolagem

CONTO Por Valéria Soares   O avião decola do aeroporto de Brasília. Nos últimos assentos, um grupo – aparentemente da mesma família – faz uma saborosa algazarra no momento em que a nave se despede do solo. Os gritos, risos…

Nominal

POEMA Por Valéria Soares   És taciturna. Gostas de frio, neblina, chuva fria, de vento. És olhar impedido por montanhas, manto de nuvens, música tranquila, poucos amigos… poucas palavras. És azul límpido de céu de outono e de montes. És…

Lume

POEMA Por Valéria Soares   Àqueles, que cegos, não veem obstáculos; Surdos, não ouvem os desaforos; Loucos, constroem, realizam, transformam e vivem uma nova história. Salve, Filhos d’Africa!   Lume Requebra, preta Rainha és Arrebenta as correntes Clama em reggae,…

1 2 3 4 5 6