Valeria Soares da Silva

poeta e contista, Prof.de Literatura e Língua Portuguesa (UGF) com MBA em Gestão e Empreendedorismo na Educação (UFF) e Gestora Pública em educação.

Encantamento

CULTURA Por Valéria Soares   As ruas de Olinda aconchegam, atraem. Exigem olhos sensíveis para tanta arte, para tanta diversidade de expressão. Suas ladeiras desenham sinuosas curvas ora à direitas ora à esquerda. É preciso subir, erguer o olhar para…

Decolagem

CONTO Por Valéria Soares   O avião decola do aeroporto de Brasília. Nos últimos assentos, um grupo – aparentemente da mesma família – faz uma saborosa algazarra no momento em que a nave se despede do solo. Os gritos, risos…

Nominal

POEMA Por Valéria Soares   És taciturna. Gostas de frio, neblina, chuva fria, de vento. És olhar impedido por montanhas, manto de nuvens, música tranquila, poucos amigos… poucas palavras. És azul límpido de céu de outono e de montes. És…

Lume

POEMA Por Valéria Soares   Àqueles, que cegos, não veem obstáculos; Surdos, não ouvem os desaforos; Loucos, constroem, realizam, transformam e vivem uma nova história. Salve, Filhos d’Africa!   Lume Requebra, preta Rainha és Arrebenta as correntes Clama em reggae,…

Por amor

CONTO Por Valéria Soares   Pediu perdão. Ainda não sabia bem o que havia acontecido quando a porta bateu atrás de si. Como pudera? Sentiu um misto de vergonha e desespero. Jamais seria a mesma. Não havia volta. O coração…

Olhos nos olhos

POEMA Por Valéria Soares   Seus olhos são naves partidas De um distante planeta levando sonhos levando desejos levando saudades levando confissões mudas…   Seus olhos são naves partidas De um ínfimo desconhecido planeta Levando lágrimas Levando confidências Levando tristezas…

Sincronia‌

CONTO   Por Valéria Soares   As mãos ágeis dão forma a mais uma encomenda. Tecem em lã o desejo de alguém, na velocidade do som. A mulher de metro e meio, se tanto, observa os carros passando a vinte…

Prata da Casa

POEMA   Por Valéria Soares   A preta que quebra Requebra Faz Refaz Rebeca Refavela Outros sons Canta Encanta Inspira Ensina Preta que chega Brilha Ofusca Reparte Sonhos Arregala olhares Preta faceira Com sangue de Sampa Com ginga do Rio…

Mulheres

Nunca fui mulherzinha. Sou experiente, não levo desaforos pra casa. Se gritam comigo, falo mais alto. Se quero alguma coisa, vou atrás. Em criança, chamavam-me de moleca, mulher-macho. Mais que nada! Gosto de homens. Principalmente dos fortes, que sabem segurar…

Teresinha

CRÔNICA Por Valéria Soares A primeira vez doeu muito. Tive vontade de gritar, mas me calei. Senti tanta vergonha! Pensei em me mudar, sair da cidade. O tempo foi passando e como não tinha mesmo pra onde ir, resolvi esquecer.…

1 2 3