Clementino Junior

Clementino Junior Cineasta, Cineclubista, Educador Audiovisual, Pesquisador e Doutorando em Educação do GEASur/Unirio, e Fundador do CAN, Cineclube Atlântico Negro. Rio de Janeiro, Brasil.

Fetiche

OLHARES     “Estátuas e cofres E paredes pintadas Ninguém sabe o que aconteceu Ela se jogou da janela do quinto andar Nada é fácil de entender” (Pais e Filhos — Renato Russo — Legião Urbana — 1986)   Em…

A Negação do Positivo

OLHARES     “O que não pode ser que Não é o que não pode ser Que não é o que O que? O que? O que? O que?” Arnaldo Antunes e Titãs, Cabeça Dinossauro, 1986   A canção dos…

Saudades

OLHARES     “Devia ser proibido Estar do lado de cá Enquanto a lembrança voa Reviver, ter que lembrar E calar por mais que doa Chorar, não mais respirar (ar) Dizer adeus, ir embora Você partir e ficar Pra outra…

Dead or a Live

OLHARES     “Na era da informação, a invisibilidade é equivalente à morte.” Zygmunt Bauman   Será que entre o visível e o invisível, existe um caminho do meio? Seria a pouca visibilidade um exemplo de desigualdade maior que a…

Eles falam Inglês

OLHARES     “Got to give us what we want Gotta give us what we need Our freedom of speech is freedom or death We got to fight the powers that be Lemme hear you say Fight the power” “Nos…

Libera o Wi-fi?

OLHARES     “Com quantos gigabytes Se faz uma jangada Um barco que veleje Que veleje nesse infomar Que aproveite a vazante da infomaré Que leve um oriki do meu velho orixá Ao porto de um disquete de um micro…

Há vagas

OLHARES     Palimpsesto pa.limp.ses.to pɐlĩˈpseʃtu nome masculino 1. papiro ou pergaminho que contém vestígios de um texto manuscrito anterior, que foi raspado ou apagado para permitir a reutilização do material e a posterior sobreposição de um novo escrito. (Fonte:…

8

OLHARES     Normalmente busco explicação para as coisas na origem das palavras, algo que vem me encantando mais do que antes. Mas, para explicar o termo que se tornou sinônimo de minha mãe, amor e fé, só é possível…

Máscaras. Parte 3. Elã d’Elas

OLHARES     “É a sua vida que eu quero bordar na minha Como se eu fosse o pano e você fosse a linha E a agulha do real nas mãos da fantasia Fosse bordando ponto a ponto nosso dia-a-dia”…

Máscaras. Parte 2. O Clóvis

OLHARES     “O cotidiano supõe o passado como herança. O cotidiano supõe o futuro como projeto. O presente é esta estreita nesga entre o passado e o futuro e cuja definição depende das definições de passado e de futuro:…

1 3 4 5 6