Assuntos internacionais

Marcha Mundial pela Paz é apresentada em evento sobre desarme nuclear no Japão

Rafael de la Rubia expôs as propostas da Marcha Mundial em um evento que reuniu alguns dos principais representantes de Ongs que atuam a favor da abolição das armas nucleares. A conferêcia ocorreu ontem, 6 de agosto, em Hiroshima, e teve como tema central o papel das organizações na revisão do Tratado de Não-Proliferação de armas atômicas.

Delegação da Marcha Mundial pela Paz participa da Cerimônia de Hiroshima

O porta-voz da Marcha Mundial pela Paz e Não-violência Rafael de la Rubia participou hoje da cerimônia da bomba de Hiroshima a convite do prefeito da cidade, Tadatoshi Akiba. O dirigente de Hiroshima fez o principal discurso do evento, no qual ressaltou os esforços do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, a favor da abolição das armas nucleares na próxima década.

Caça aos imigrantes ilegais

O Japão em crise mostra seus extremos: por um lado se torna cada vez mais rigoroso com os trabalhadores estrangeiros; por outro, mantem sua organização e eficiência. Na cobertura especial das cerimônias e eventos das bombas de Hiroshima e Nagasaki, que começam hoje, dia 5 de agosto, relato a experiência nos dias prévios para dar um contexto do pais no momento atual.

A chama da Marcha Mundial foi acesa no Parque da Paz em Hiroshima

O evento aconteceu diante da chama que vem queimando desde 1945, em memória dos que faleceram, e que não será apagada até que todas as armas nuclearem sejam eliminadas. No evento, representantes da Marcha Mundial comprometidos em carregar a chama de Hiroshima através de cada país que a Marcha Mundial percorrer, demandando a abolição de armas nucleares.

Expedicionários da Marcha pela Paz descansam na Base 1 do Monte Ararat

Eduardo Gonzalo, Aurora Marquina, Alvaro Orus,entre outros, alcançaram a pradaria a 3.400 metros, e estabeleceram-se no campo da Base 1, com planos de continuar a escalada em direção ao pico do Monte Ararat, o local místico onde dizem que a Arca de Noé descansou após o Dilúvio. Eles continuarão em direção à Base 2, localizada a 4.500 metros.

Segunda queda do Império do Sol Nascente

A crise econômica mundial que começou em Wall Street no ano passado, explodiu no arquipélago japonês com mais potência que em qualquer outro país. Explosão igual a essa, o Japão sentiu pela ultima vez com o lançamento das duas bombas nucleares de 1945 sobre as cidades de Hiroshima e Nagasaki. Agora as primeiras vitimas da crise são os imigrantes.

A necessidade de um pacifismo radical

Antes de viajar para as cerimônias de Hiroshima e Nagasaki, refleti qual seria a prioridade dos pacifistas na atualidade. Para buscar a resposta, me perguntei qual poderia ser a violência mais brutal contra os seres humanos? De imediato veio a imagem da detonação de uma bomba nuclear sobre a população de alguma cidade do mundo.

Jornalista brasileiro inicia dia 5 de agosto cobertura de eventos em Hiroshima e Nagasaki pela paz e não violência

Jornalista brasileiro Alexandre Sammogini é convidado especial da prefeitura de Hiroshima para homenagem às vítimas da bomba atômica. Dia 5 de agosto o jornalista lançará oficialmente a agência de notícias Pressenza direto da prefeitura de Hiroshima, que preparou para este dia uma cerimônia simbólica para reforçar a importância da Marcha Mundial pela Paz no momento atual.

Secretário Geral da ONU destaca papel da mídia no processo de paz entre Israel e Palestina

No Seminário Internacional de Mídia sobre Paz no Oriente Médio, promovido pela ONU entre os dias 27 e 28 de julho, coberto por Pressenza, o Secretário-Geral da organização, Ban Ki-moon, deu uma breve mensagem em vídeo incentivando a criatividade e o engajamento da mídia e a comunidade internacional na resolução do conflito entre Palestina e Israel.

Papa Bento 16 saúda os integrantes da Marcha Mundial pela Paz e a Não Violência

Prefeitura da Casa do Pontífice confirma que o Papa receberá os marchantes pela paz na audiência geral do próximo dia 11 de novembro. Os membros da equipe base que saem da Nova Zelândia no dia 2 de outubro terão percorrido países da Oceania, Ásia e Europa antes de levar suas propostas de desarmamento nuclear e não violência para o Vaticano.

1 54 55 56 57 58 59