crônica

Terá existência o beijo gay?

CRÔNICA Por Guilherme Maia   Homenagem ao grande João Bethencourt e à liberdade Chiquinho tinha vinte e quatro anos e era idolatrado por sua avó, senhora octogenária frequentadora da igreja do Poço Fundo do Jacó, adepta do “está-um-caos- mas-Deus-proverá”. Iniciou…

Por uma neobossa nova por um neo-espírito crítico e livre E tudo neonovíssimo

CRÔNICA Por Guilherme Maia   Tenho – lágrimas – quarenta e dois anos e passei minha infância e adolescência na Zona Sul carioca, tendo momentos de Tijuca onde residiam meus avós paternos e minha avó materna. Esse balanço Leblon-Tijuca moldou…

Solução

CRÔNICA Por Valéria Soares   A ansiedade a consumia. Já havia comido salgados, já havia comido doces, já tinha pensado, já tinha parado de pensar… Nada! Absolutamente nada resolvia aquele incômodo no peito, aquele nó na garganta, aquela ideia teimosa…

Recordação

CRÔNICA Por Valéria Soares   Lembro- me de um tempo em que as pessoas aproveitavam a tarde de domingo para fazer visitas umas as outras. Era comum que minha mãe fizesse um bolo e o deixasse reservado para as tais…

Primeira infância

CRÔNICA Por C. Alfredo Soares   Minhas lembranças mais tenras remetem ao final dos anos sessenta, inicio dos anos setenta. Lembro do sinal estridente do grupo escolar Campos Sales, onde fiz meus primeiros amigos, convocando as crianças pra cantar o…

Gritos

CRÔNICA Por C. Alfredo Soares   Gritos Mãos estendidas Em meio a torrente   Gritos vão E deixam somente o eco As lágrimas secam Depois de tanto derramar   Vamos nos acomodando nos becos Nos brejos, Nos mangues Nos morros…

Humor

CRÔNICA Por Valéria Soares   Há dias em que é antipática. Não aquela que não cumprimenta ou não sorri para os outros, mas a que não curte as postagens, a que se incomoda com o sorriso alheio estampado nas redes…

Minha cidade

CRÔNICA Por C. Alfredo Soares   Minha cidade, na minha cabeça, tem cheiro de eucaliptos e hortênsias pelo caminho Minha cidade, na minha cabeça, tem sino da igreja badalando às 18 horas Sirene da carpintaria no início do turno de…

Leonel nos salvou

CRÔNICA Por Marco Dacosta   Só entendi o real significado da palavra “mormaço” quando meu avô tentou me explicar que era uma antessala do inferno. Assim ele descrevia aquelas tardes de janeiro, no Rio. “Não saia nesse mormaço”, me falava…

Susi e o cipó do espírito

CRÔNICA Por Marco Dacosta   Era noite em Nova York, dezessete graus negativos e eu me encolhi no sofá com uma xícara de chocolate quente nas mãos. Do outro lado da ligação no celular estava Susi – aquela mesma da…

1 2 3 4 15