poesía

Fogo frio

POESIA     Por Luiza Machado     E o que se pode dizer das paixões? Elas são ardentes e tão imprevisíveis faz dos apaixonados insensíveis a tudo que não ama em mesmas proporções tão incendiárias e destrutivas com idas…

Entre Vênus e Mercúrio

POEMA     Por Luiza Machado     Sem meio termo Mais nada contenta Desorienta deixa quase enfermo E entre outros mil Não há de ser oito, mas oitenta Quem aguenta? Depois de eras, um beijo febril O tempo não…

Romantismo

POEMA     Por Valéria Soares     Coração vagueia Entre o passado e o futuro Quer mundos que não pode ter Suspira Sonha Evade-se Ultrarromântico coração Deprime-se com o presente Cavalheiresco Herói Medieval Coração vagueia Noturno Taciturno Por caminhos…

Vamos nos ver? Parou de chover!

POESIA     Por Vitor Vanes     Vamos nos ver? Parou de chover! Mas chove lágrimas! Sangue no Jacarezinho! Onde encontro carinho! Afeto e mil possibilidades! Diversidades de vidas!   Mas parou de chover! Chove bala, racismo, falta de…

Entusiasmo

POEMA     Por Luiza Machado     É o marasmo da alma Esse sarcasmo que te escolta No labirinto da tua palma Tracei um caminho sem volta Você é um tumulto mansinho Me ama, mas me solta? Do meu…

Pecados Capitais

POEMA     Por Luiza Machado     Me perdi nos desejos meus E eram demais Tantos que não pedi perdão a Deus Deixei essa conversa pros meus dias finais Hoje eu sou os pecados capitais juntos Com o melhor…

Eu te amo

POEMA     Por Luiza Machado     Eu te amo Não posso mais dizer que Eu sei viver sem você A opinião alheia tanto faz Quando o assunto é manter você na minha vida Não encontrei argumentos favoráveis Para…

Descombinações

CONTO     Por Valéria Soares     Quando menina, ouvia dizer que verde não combinava com azul. Era mau gosto usá-los. Sentia-me mal por gostar de tal combinação. Passei, então, a me considerar uma pessoa que não sabia se…

A encruzilhada

POEMA     Por C. Alfredo Soares     Na encantaria ele ria Zombava de tudo e de todos Pegava a faca e passava na testa Bebia na taça que não era sua   Não pedia licença Lambia os dedos…

Juras

POEMA     Por Luiza Machado     Amar intensamente tão intensamente que não se sente A solidão é tão ardente quanto o amor quando se entrega o coração incandescente cega, tão cegamente que se esquece do próprio valor O…

1 2 3 4 9