POEMA

Por Valéria Soares

 

Samba zumbi dos palmares

Ao bater de palmas

Das pretas faceiras

Rebolando nos quilombos

Que a guerra é certa.

Canta seu canto

Gira teu corpo

Chuta o ar

Que a guerra é certa

Abraça teu filho

Ama tua mulher

Que a guerra é certa

Solta o teu grito

Derrama o teu sangue

Sara as tuas feridas

Que a guerra é certa

E quando te cansares

Quando te sentires fraco

Quando for demais para ti

Recomeça!

Que tu haverás de lutar

Sob toda pele preta

Sob toda pele quase preta

Que ainda virá.