Atentados em Paris: Violência NÃO!

14.11.2015 - Gabriela Amaya

This post is also available in: Inglês, Espanhol, Alemão, Grego

Atentados em Paris: Violência NÃO!
  • Vários ataques causaram dezenas de mortes em Paris e muitos feridos.
  • Hoje, mais do que nunca, é necessário tomar uma posição clara contra a violência, seja qual for a sua origem.

 

Os fatos, ainda muito confusos

Mais de cento e vinte mortos e muitos feridos é o resultado de seis atentados em série que tiveram lugar a noite passada em dois distritos de Paris. Os ataques ocorreram em torno do Stade de France (onde o presidente Hollande foi ver um jogo de futebol, de onde foi imediatamente retirado); em terraços de cafés e o mais sangrento na salão de festas Bataclan, onde ocorreram a maioria das mortes. Neste salão, estavam muitos jovens de diferentes nacionalidades.

Cinco terroristas foram mortos imolando-se ou pela ação da polícia, porém a polícia não descarta que existam mais pessoas envolvidas nos ataques. Neste momento nenhum grupo reivindicou a responsabilidade.

Hollande disse que as autoridades francesas sabiam que ataques estavam sendo preparados, mas não conseguiu controlá-los.

O presidente francês declarou estado de emergência em todo o país e fechou as fronteiras; Colocou o exército nas ruas, enquanto pediu a população dos bairros parisienses afetados para voltarem ou não sairem de suas casas.

Parisienses oferecem suas casas como um refúgio para aqueles que são incapazes de voltarem a suas casas e precisam de um lugar para ir a salvo de possíveis ataques. Eles fazem isso através da tag #PorteOuverte (POrta Aberta), que se tornou uma tendência global no Twitter. Respostas de solidariedade da população mostram como o ser humano pode expressar o melhor de si mesmo nos momentos mais difíceis.

A reação internacional dos países ocidentais foi imediata, condenando os ataques e expressando solidariedade com o governo e o povo francês.

 

NÃO à violência, venha do bando que vier

Não há medidas políticas ou militares que parem a violência com mais violência. Assim é que ela nunca termina. Não conseguiram fazê-lo neste momento, nem ao longo de toda a história.

Não há nenhuma razão ou causa para justificar a morte de qualquer ser humano por outro. A violência sempre gera mais violência e o fanatismo, vem do lado que venha, alimenta o ressentimento e a vingança em um círculo sem fim.

Chegou a hora para que tanto os governos quanto todas partes envolvidas em qualquer conflito, irem à origem dos problemas para responder de forma a desarmar gradualmente violência.

Esta noite foi a Paris, onde centenas de pessoas foram vítimas de fanatismo terrorista. Antes disso, o mesmo ocorreu na capital francesa, em Londres, em Madrid, em Nova York … Mas não vamos esquecer das centenas de milhares de sírios que morreram sob as bombas de todas as partes envolvidas no conflito; não vamos esquecer do Iêmen, onde ocorre uma guerra silenciada; Também não devemos esquecer o eterno conflito, reativado nas últimas semanas entre israelenses e palestinos … E não esqueça os milhões de pessoas deslocadas, refugiadas, passando tanta dor e sofrimento e vivendo as conseqüências de todas essas guerras.

Chegou a hora de procurar a raiz de cada conflito e solucionar com respostas não violentas. Por esta trágica noite, o povo francês e os diferentes povos e seus líderes se afastem do ódio e entrem em contato com a paz no coração e a luz no entendimento, para apostar em abrir caminhos de diálogo e de encontro entre as culturas e povos, enquanto se esforcem para que suas populações tenham condições de vida dignas, elemento essencial para desativar atitudes fanáticas.

Categorias: Assuntos internacionais, Europa, Internacional, Não violência, Opinião, Paz e Desarmamento, Política
Tags: , , , , ,

Boletim diário

Indique o seu e-mail para subscrever o nosso serviço diário de notícias.


Milagro Sala

Canale youtube

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

Arquivo

Except where otherwise note, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International license.