Ilka Oliva Corado

Escritora e poeta. Guatemalteca nos Estados Unidos. Imigrante indocumentada com mestrado em discriminação e racismo. cronicasdeunainquilina.com

Consternar-se não é suficiente

Tradução de Raphael Sanz Cada vez que nos enterramos de uma notícia desagradável, uma violação sexual, um feminicídio, um massacre ou um ato terrorista, nossa primeira reação e última é consternarmos e ficarmos ali; como se com isso cumpríssemos com…

Não é a Venezuela, é a Colômbia: Chocó em resistência

Tradução de Raphael Sanz A América Latina, com seus multitudinários rostos e multi etnias, é negra, tem a força e a resistência da afro descendência. Uma raiz milenar que seguimos negando como parte da nossa identidade cultural. Os afro descendentes…

Não é a Venezuela, é o México

O México está sendo sequestrado, massacrado e desaparecido, nada mais e nada menos, pelo governo de Peña Nieto. A pergunta urgente que muito nos fazemos é: o que está esperando Almagro e a OEA para aplicar a Peña Nieto a…

A cultura da violência de gênero

A violência de gênero é algo aprendido, portanto, pode ser mudada. Com certeza temos a capacidade para eliminar o patriarcado, o machismo, a misoginia e a indiferença. A pergunta é: quando o faremos? Existe, a vemos todos os dias, está…

Cristina, meu amor

Não sou feminista, nem vermelha, nem de esquerda, nem revolucionária. Sei muito bem qual é o meu lugar: sou uma desamparada e Cristina é meu amor. Assim como também é Mercedes Sosa, Dilma, Evita e Violetona Parra. E, como escritora,…

Dilma, inquebrantável

“Devíamos tê-la matado”, terão repetido centenas de vezes seus torturadores quando viram-na se tornar a primeira mulher presidenta do Brasil. Ou quem sabe tenham desejado que também como Evita, o câncer a fizesse desaparecer (momentaneamente, porque é imortal) do cenário…

Quem disse que o neoliberalismo é a solução

Um dia o mundo amanheceu com a notícia que o Iraque teria em seu poder bombas de destruição em massa; um plano maquiavélico dos Estados Unidos ao que se uniram o Reino Unido, a Polônia, a Austrália e a Espanha…

A violação

A lembrança mais vívida que tenho do meu tio Romid é a de um Natal em que veio nos visitar na zona 8 que era onde vivíamos na capital guatemalteca. O tio Romid era o irmão mais velho do meu…

1 2