POEMA

 

 

Por Luiza Machado

 

 

É o marasmo da alma
Esse sarcasmo que te escolta
No labirinto da tua palma
Tracei um caminho sem volta

Você é um tumulto mansinho
Me ama, mas me solta?
Do meu coração fez desalinho
Por não sentir a emoção com calma

Eu me sinto um passarinho
Preso na gaiola da própria alma
Deixa seu próprio ninho
E cria uma reviravolta
Só para encontrar seu fim sozinho
Sentindo amor, tristeza e revolta.