Entidades da sociedade civil se opõem à criação de um órgão dominado pela Big Tech para governança digital global

09.04.2021 - Redacción Argentina

This post is also available in: Espanhol, Francês, Italiano, Alemão, Grego

Entidades da sociedade civil se opõem à criação de um órgão dominado pela Big Tech para governança digital global
(Imagem de ITforChange)

Em uma carta aberta dirigida ao Secretário-Geral das Nações Unidas, Antônio Guterres, várias entidades da sociedade civil expressam sua rejeição à iniciativa de criar um órgão de governança digital mundial sob a decisiva influência e financiamento de empresas privadas.

No texto da carta, as entidades indicam que a proposta de criação de um novo órgão multissetorial de alto nível estratégico com importantes poderes relacionados às políticas digitais, seria totalmente contra as diretrizes da Cúpula Mundial sobre a Sociedade da Informação (CMSI) e seu processo oficial de acompanhamento.

“Este novo órgão”, dizem eles, “aumentaria muito seu já desordenado poder e ajudaria esses grandes conglomerados a resistir à sua regulamentação efetiva, tanto a nível mundial como nacional.”

Na verdade, estamos diante da perspectiva de “um órgão liderado pela Big Tech para governança global da Big Tech”, acrescentam.

Os iniciadores desta ação apontam o perigoso paralelismo com outras iniciativas similares de impacto empresarial direto na área de saúde, educação e alimentação, resultando na captura de fóruns políticos no sistema multilateral da ONU.

“É inaceitável que um órgão político desse tipo tenha representantes de empresas e governos em pé de igualdade”, afirmam.

Esta estratégia responde precisamente às orientações do Fórum Econômico Mundial (Davos) que sob o manto do termo «cooperação digital» abre caminho à elaboração de políticas reais, através da conversão de um órgão consultivo de múltiplas partes interessadas (segundo o modelo multistakeholder em vigor no Fórum de Governança da Internet) em um de «governança multipartidária».

Longe de se reduzir a uma disputa no campo estritamente tecnológico, as organizações signatárias alertam para as consequências da instalação de um órgão com essas características, afetando em sua essência o sistema democrático multilateral.

“Se esta proposta for adotada, vai soar o sino da morte para a governança global democrática e multilateral, substituindo-a por sistemas de governança corporativa, que, conforme previsto pelo Fórum Econômico Mundial, com a digitalização crescente de todos os setores, eles serão inserido cada vez mais em todos eles.”

Com base nessas considerações, a comunicação, que também será enviada aos embaixadores nas Nações Unidas de todos os países membros, insta o Gabinete do Secretário-Geral das Nações Unidas a arquivar imediatamente a proposta de criação de um Órgão Multissetorial de Alto Nível para ‘Cooperação Digital’, uma vez que se tornaria o órgão de fato para a governança digital global.

Eles também instam a reformular a agenda da Cooperação Digital que deve “ser limitada, se for o caso, a funções de diálogo programático e de políticas. Qualquer estrutura ou fórum que se crie sob ela não deveria exceder no mínimo essas funções.”

Eles ainda insistem na necessidade de deixar isso totalmente claro em todos os documentos e mandatos relevantes, substituindo a linguagem vaga e confusa por descrições claras que excluem completamente qualquer papel comercial substantivo na formulação de políticas.

Ao mesmo tempo, a carta enfatiza a urgência de renovar os esforços para desenvolver um sistema genuinamente democrático de governança digital global, mantendo os interesses corporativos à distância.

Finalmente, a nota sugere que o gabinete do Secretário-Geral “inicie um novo processo formal de consulta sobre esta questão, de acordo com as diretrizes da CMSI.” Observando a relevância do momento, “dada a mudança dramática na opinião pública e na política sobre a necessidade de regulamentação rígida das grandes tecnologias e o fato de que as grandes tecnologias são globais e, portanto, requerem um certo nível de governança global eficaz, com regras e políticas globais adequadas.”

O texto completo da carta pode ser encontrado aqui


Traduzido do espanhol por Mercia Santos | Revisado por Tatiana Elizabeth

Categorias: Assuntos internacionais, Ciência e Tecnologia, Direitos Humanos, Internacional
Tags: , , , , ,

Boletim diário

Digite seu endereço de e-mail para assinar o nosso serviço de notícias diárias.

Search

Whatsapp

Pressenza Whatsapp

Informe Pressenza

Informe Pressenza

Caderno de cultura

Caderno de cultura

O Princípio do fim das armas nucleares

Documentário 'RBUI, o nosso direito de viver'

Canale YouTube

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

Arquivo

xpornplease pornjk porncuze porn800 porn600 tube300 tube100 watchfreepornsex

Except where otherwise note, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International license.