O suor, o pão e a sorte 

25.10.2020 - Campos, RJ. Brasil - Alfredo Soares

O suor, o pão e a sorte 
(Crédito da Imagem: Davison Alves*)
RELATO

 

 

Deixa pra amanhã. Tô cansado da lida. A noite caiu, mas a dor nas costas não foi embora. A lavoura tá destruindo comigo.

Amanhã a gente proseia. Por hoje me dou por satisfeito. A cabeça já não tá boa. Vou acabar embolando a prosa e dormindo bem no meio dela.

O tempo passa e a gente definha. O suor queima a pele, seca e abre as feridas. Só o pão me consola.  Agora tomo remédio pra tudo e pra tudo tem remédio. Pior que não cura, só faz encher a gaveta com o que o médico diz ser a última novidade.

Quando saio pra ir ao banco receber minha aposentadoria, só vejo farmácia pela cidade. Quando volto,  paro em quase todas pra distribuir meu provento.

Prefiro minhas ervas do mato: macaé, quebra pedra, olhos de nossa senhora, erva cidreira, boldo, carqueja… tem até pé de novalgina.

Me benzo com folhas de guiné, arruda, tomo banho de alevante. Minha vó já dizia: a fé não pode faltar. Vou dormir e vagar com meus sonhos, velhos como eu. Amanhã , antes de sair tomo uma garrafada, pego a enxada e eito o roçado de quiabo. Plantei também abacaxi e mandioca.

Tenho que vigiar pra não roubarem. Minha enxada e meu facão estão afiados. O sol a pino facilita e atrapalha. Esquenta a água no cantil e o corpo. Até o vento está baforando. Todo dia 40 graus.

No final do dia rego a horta. Pra não me queimar uso manga de camisa com punho fechado, bota, calça e chapéu. Já vi companheiro desmaiar, mas eu não desmaio não. Quando percebo que não tem nuvem no céu, procuro a sombra do ypê e respiro o ar. Encho o pulmão e agradeço a lida e me ponho a pensar.

Levar o pão pra casa me enche de razão. Faz os meninos obedecer a mãe, que a tudo vê, e se põem a rogar por um amanhã mas justo pra todos nós. Meus rebentos, meu rebanho. Faço uma Prece poderosa de joelhos e à luz de vela.

Pela fresta da janela encostada o Senhor olha e vê sua família reunida, se alimentando da mais pura fé que só gente como nós consegue cultivar. Esse é remédio que me cura todos os dias nessa vida arcaica.

O trabalho dignifica e também mata a gente. O Altíssimo é a luz que nos alimenta de esperança que a justiça divina não falhe jamais. Deus seja louvado!


* Pintor, cartunista e ilustrador. Também é professor de desenho. Instagram

Categorias: Ámérica do Sul, Cultura e Mídia
Tags: ,

Boletim diário

Digite seu endereço de e-mail para assinar o nosso serviço de notícias diárias.

Pesquisa

Informe Pressenza

Informe Pressenza

Caderno de cultura

Caderno de cultura

O Princípio do fim das armas nucleares

Documentário 'RBUI, o nosso direito de viver'

Canale YouTube

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

Arquivo

xpornplease pornjk porncuze porn800 porn600 tube300 tube100 watchfreepornsex

Except where otherwise note, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International license.

maltepe escort