Eduardo Alves

Nasceu na periferia da cidade do Rio de Janeiro e desde os 14 anos atua em ações democráticas. Fez parte da Teologia da Libertação e atua com formação política desde os 18 anos, em partidos de esquerda, movimentos sociais e organizações da sociedade civil. Cursou Ciências Econômicas na Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro e Ciências Sociais na Universidade Federal do Rio de Janeiro. Foi da direção do Observatório de Favelas, coordenador da ESPOCC – Escola Popular de Comunicação Crítica – e colaborador do IMJA-Instituto Maria e João Aleixo - desde a sua fundação. Nos dias atuais é colaborador e organizador do IPAD e identifica-se como intelectual orgânico da periferia.

Não somos indiferentes, somos pessoas que germinam o bem viver: votar em Lula faz toda a diferença!

Votar em Lula se torna uma necessidade histórica, não somente uma escolha. Por Adriana Doyle Portugal¹ e Eduardo Alves Houve o momento em que Gramsci, sujeito comprometido com a vida e com a melhor sobrevivência humana, afirmou que “odiava os…

Amanhã, quem sabe, um novo dia?!

Este ensaio é apenas uma primeira parte às vésperas das eleições quase gerais que ocorrerão no Brasil no dia 02 de outubro de 2022. O ordenamento do Estado que há no país chama de primeiro turno. Nas condições atuais, para…

Emprego, trabalho e liberdade. Uma combinação de palavras para um ensaio em favor da vida

Depois de ler muito João, há mais sentimento de liberdade para escrever. O João dessas linhas, que traz inspiração de como desenhar as letras, é Guimarães Rosa. Como aqui ciência e filosofia irão se misturar para tratar de termos e…

A necessidade do conhecimento para compreender e transformar a vida

“Os economistas do século XVII, por exemplo, partem sempre do todo vivo: a população, a nação, o Estado, vários Estados, etc.; no entanto, acabam sempre por descobrir, mediante a análise, um certo número de relações gerais abstratas determinantes, tais como…

O desencantamento das ruas

Hoje não é dia de #tbt. As almas clamam e o factual é urgente! Nesta quinta-feira o sopro chega em forma de poesia.   Nas ruas não há almas encantadoras Nas ruas, com ou sem a luz só há medo…

O que o corpo sempre lembra, mas o pensamento esquece: vamos lembrar!

Certo é afirmar que o corpo dos seres sapiens que ainda sobrevivem sempre lembram. Para que o pensamento não esqueça seria mesmo necessário haver muitas ações que os corpos sentem cada vez mais distantes. Entre tais ações pode-se destacar: empregos…

Brasil com censo

Nas cidades contemporâneas o consenso, para existir, precisa ser construído pelas sujeitas e pelos sujeitos sapiens. Mas para o senso comum existir basta o uso qualificado da ideologia pelas pessoas, também sapiens, que servem os verdadeiros donos do poder, que…

A França: Letras sobre a eleição

“Sem dúvida — pensei —, todos aqueles que levam uma vida de trabalhos e sofrimentos podem, com razão, invejar as avezinhas do céu, que não conhecem nada disto!” Dostoiévski, Gente Pobre O iluminismo agora não está em questão. Muito menos…

Sobre salários, renda básica universal e incondicional e o Bem Viver: há o que pensar e fazer!

Na sociedade capitalista a polêmica sobre salários é um obstáculo difícil de superar. E em uma sociedade capitalista do tipo da do Brasil facilmente tal polêmica é transformada em algo ainda mais complexo. As diferenças salariais aparecem, muitas vezes, como…

Que mais ecos de Bem Viver cheguem no Brasil

Por volta das 19h30, deste domingo, a mensagem que pulsava já era: Boric ganhou a eleição presidencial no Chile. Aquele mesmo país que as pessoas sentiram o peso da desastrosa ditadura de Pinochet, que em forma, conexão e sentidos, acabou…

1 2 3 4