Os especialistas internacionais Patricia Tappatá, Marlon Weichert, Magdalena Correa e Julián Burger apresentaram o relatório e enfatizaram que o estudo foi realizado no local dos fatos, onde os massacres foram constatados e graves violações por parte das forças de segurança amparadas pelo chamado decreto da morte, o 4078.

Após a exposição, os países membros da Organização dos Estados Americanos validaram os resultados da investigação plasmada no Relatório Final e instaram o cumprimento das recomendações para a não repetição desses eventos em qualquer país do hemisfério.

O embaixador da Bolívia na OEA, Héctor Arce, destacou o apoio dos países ao relatório apresentado pelos especialistas internacionais. “Recebemos o apoio de uma dúzia de países, todos, absolutamente todos apoiaram o trabalho do GIEI. Além de ser um ato de solidariedade para com as vítimas”, ressaltou o representante boliviano

Arce, também, confirmou que durante a segunda semana de março seria assinado um convênio com a CIDH para a conformação de um mecanismo de acompanhamento junto às recomendações do GIEI.

Sugerimos que você leia: Decreto 4078, de 2019, Bolívia

Além disso, o embaixador do Uruguai na OEA, Washington Abdala, elogiou o documento e afirmou que as descobertas se constituem em provas que poderiam ser apresentadas em eventuais julgamentos.

E acrescentou que “é muito preocupante” a constatação de que os atos de violência de 2019 tiveram um importante componente de racismo e discriminação, “apelaram à identidade étnica (…), as filiações políticas foram perigosamente racializadas e destinadas a serem utilizadas como fator de exclusão de espaços institucionais”. Por isso, as conclusões e descobertas do GIEI devem ser traduzidas em ações concretas.

Finalmente, o embaixador argentino na OEA, Carlos Raimundi, afirmou que “os Estados que fazem parte do Sistema Interamericano de Direitos Humanos têm o dever de aceitar a presença desses órgãos do Sistema Interamericano no local dos fatos porque os relatórios elaborados fora do local, têm um nível de midiatização dos fatos concretos, podendo ser altamente influenciados e modificados”.


Traduzido do espanhol por Débora Lima / Revisado por Aline Arana

O artigo original pode ser visto aquí