CONTO

Por Luiza Machado

 

Eu me arrependi! Amargamente. E foi logo depois que eu dei a partida, senti vontade de voltar correndo. Eu me arrependi, mas foi algo que me ocorreu somente no dia seguinte, quando me dei conta do que havia acontecido. Eu me arrependi, mas só depois de ver você com outra pessoa, me dar conta do que tinha perdido. Eu me senti mal, mas não me arrependi na hora, aproveitei para ficar sozinha, mais leve, sem dever nada para ninguém, mas me incomodava te ver com outra pessoa. Eu me senti mal, mas não me arrependi, demorou, mas eu comecei a sair com meus amigos, conhecer gente nova. Cortar o laço foi como tirar um curativo, doeu na hora, mas foi libertador. Eu me senti mais feliz e não demorou para eu estar com outra pessoa, com quem eu comecei um novo relacionamento muito melhor. Na verdade, eu não quis outro relacionamento, preferi seguir, conhecer gente nova, ficar com meus amigos. Eu não me arrependi, nem me senti mal em qualquer momento. Eu perdi o interesse em saber de você. Foi rápido, eu sei, mas eu não te traí. Na verdade, é… eu traí sim, você não merecia, sinto muito. Na verdade, você mereceu sim, foi ausente, vacilou comigo, deu mole e outro ocupou o seu lugar. Na verdade… ninguém poderia ocupar o seu lugar… você nunca assumiu propriamente um lugar na minha vida. A bem da verdade, eu saí com outros caras, mas nenhum deles era como você. Eu gostei de todos. Apesar disso, não valia a pena eu me amarrar de novo. Verdade seja dita, expandi meus horizontes, prefiro não dizer o nome dela, mas é linda, você sentiria inveja. Tudo bem, talvez eu não tenha ido tão longe. Mas eu estou feliz e descobrindo pessoas incríveis e muito valiosas. Que bom que eu não me fechei pro mundo, porque ele é muito maior agora. Nada como poder considerar todas as possibilidades, é como estar em um cômodo cercada de portas abertas. Sou só eu mesma e uma vontade intensa de viver.