POEMA

 

 

Por Luiza Machado

 

 

Me perdi nos desejos meus

E eram demais

Tantos que não pedi perdão a Deus

Deixei essa conversa pros meus dias finais

Hoje eu sou os pecados capitais juntos

Com o melhor dos dois mundos

Inveja dos outros jamais

Mas talvez o motivo oriundo

O olhar de luxuria

Com uma loucura sagaz

Capaz de qualquer injuria

Pelo prazer ou pela ira

Por amores ou rivais

A gula a que se prometeu

Mundos e fundos

Tarja preta sem bula

Surpresa com os efeitos colaterais

Seja cristão ou ateu

O ser humano é tão profundo

E sabe tanto de tudo

Mas não reconhece o mal que faz

Me desespero com desentendimento mútuo

Porque de sentimento unilateral

O mundo está cheio demais

Tanto que eu me confundo

E prefiro aceitar a falta

Que um certo alguém me faz