Quatorze meses de pandemia, suspensão de aulas presenciais, esgotamento e estresse dos professores, alunos e seus familiares, a falta de socialização das meninas, meninos e jovens, menor aprendizado de conteúdos e perda de alimentação oferecida por JUNAEB nos levam a nos perguntar por quanto tempo insistimos em um sistema educacional que precisa ser revisado urgentemente.

Um antigo ditado diz “quem cala consente” e por isso trago na memória uma frase de Albert Einstein que nos convida a refletir: “Educação não é aprender fatos (conteúdos), mas sim treinar a mente para pensar”. Uma formação que nos permitirá conhecer e reconhecer as nossas emoções, compreender o nosso meio incluindo a natureza, a sociedade e outras pessoas, conviver e colaborar e desenvolver uma cultura da ética.

Todos os itens acima devem vir antes de aprender os conteúdos, pois, caso contrário, os conteúdos são rapidamente adquiridos e esquecidos. Por isso na Fundacion Semilla somos críticos das provas padronizadas. São apenas uma foto que não dá conta do processo educacional integral e se torna um incentivo perverso para treinar a mente para pensar. Não é por acaso que uma porcentagem significativa de alunos conclui a educação formal, doze anos na maioria dos países, sem compreender o que leem. Então voltamos a fazer a mesma pergunta: até quando?

Este é o nó da educação de hoje, sendo compartilhado por especialistas em educação, pela comunidade docente e pelos líderes em diferentes áreas da sociedade, no entanto, estamos insistindo em um sistema onde seguimos obtendo maus resultados.

Na Fundacion Semilla sempre pensamos na pergunta, até quando? Usamos ferramentas lúdicas participativas para desenvolver habilidades de socialização que, devido ao seu design e estrutura, permitem que os alunos utilizem suas capacidades de alfabetização e apliquem conceitos básicos de matemática. Desta forma o processo educacional torna-se uma vivência lúdica e memorável que convida a sentir a experiência novamente e dá formação para aprender conteúdos. No uso dessas metodologias, quem lidera o processo exerce uma liderança positiva e horizontal, em vez do tradicional professor hierárquico e autoritário que possui conhecimento e verdade.

Infelizmente, será tarde demais para aqueles que abandonaram o sistema e, mais grave ainda, para aqueles que abandonaram o ensino pré-escolar, cuja matrícula cairá 15% para a pré-escola e 8% para o jardim de infância entre 2020 e 2021, de acordo com o Ministério da Educação do Chile.

Dói observar essas estatísticas, assim como dói saber que a frequência escolar é mais por obrigação do que por entusiasmo para treinar a mente para pensar e assim recuperar a esperança de mudar o mundo. É por isso que nunca devemos esquecer a pergunta: até quando?


Traduzido do espanhol por Ivy Miravalles | Revisado por Tatiana Elizabeth