O evento acontece no próximo domingo, às 14 horas.

O “Samba da Força e da Defesa” de Guilherme Maia nasceu para denunciar o feminicídio. Após o assassinato de Natália da Silva Fonseca de Souza, pelo ex-companheiro, em janeiro desse ano, a cidade de Teresópolis, Região Serrana do Rio de Janeiro, a pauta ganhou as redes sociais e a discussão sobre o as formas de combate ao feminicídio foi recebendo adesão popular; desta forma surgiu o Movimento Coletivo de Acolhimento à Mulher Teresopolitana.

Durante a campanha, o advogado e chargista Guilherme Maia foi convidado para criar uma arte sobre o tema. Junto com o desenho veio também a inspiração para compor o samba, que escreveu em parceria com o músico Allan Magalhães. Esse samba será lançado no próximo domingo, 14, em live, no Espaço Cultural Quintal das Artes, em Teresópolis, com transmissão pelas redes sociais de Pressenza.

A música será interpretada pelo grupo Quintal do Céu, que durante a apresentação tocará composições do Cartola, como Alvorada, Peito Vazio e a Sorrir, com comentários do intelectual orgânico da periferia Eduardo Alves, que fará também uma introdução biográfica do Cartola. O objetivo do evento é aproveitar o gancho do Dia Internacional da Mulher (comemorado em 8 de março) para ampliar a discussão sobre feminicídio em Teresópolis e no Brasil.

O autor do samba, Guilherme Maia explica que logo a primeira estrofe, o samba traz toda simbologia do protagonismo feminino e do crime cometido. A letra também faz referência à justiça além da lei e mostra a alegria e utopia como as grandes esperanças de um futuro de amor e ciência, de evolução e liberdade que erradicará motivações retrógradas de crimes contra grupos de pessoas. Segundo Guilherme, com críticas contundentes à necropolítica estabelecida no Brasil, a canção é um grito de protesto às ações que cada vez mais matam mulheres no país.