A BBC e Santa Inquisição versão 4.0

21.12.2020 - Ferrol, Reino da Espanha - Ángel Sanz Montes

This post is also available in: Inglês, Espanhol, Francês

A BBC e Santa Inquisição versão 4.0
(Crédito da Imagem: New Yorker)

O diretor da BBC, Tim Davie, com sua visão invasiva em relação à imparcialidade, proíbe jornalistas de tecer comentários nas mídias sociais

Um punho de aço atingiu em cheio a velha senhora (98 anos), a BBC. Fundada em 1922, a empresa sofrerá profundas mudanças nas mãos de seu novo diretor, Tim Davie, nomeado no início de setembro.

Em suas primeiras declarações, Davie deixou muito clara a sua visão sobre imparcialidade, que ele passará a exigir como norma editorial: “Se você quer ser um colunista de opinião ou partidário de alguma campanha nas mídias sociais, essa é uma boa opção, mas você não deveria estar trabalhando na BBC.”

Nesse pouco tempo, a visão de Tim Davie já se tornou realidade. A empresa publicou uma lista de normas e regulamentos para orientar seus funcionários rumo à imparcialidade. Também lançou cursos de treinamento para garantir que seus funcionários estejam comprometidos com o objetivo de alcançar os mais altos padrões de imparcialidade em toda a organização. Ele é orwelliano ou será apenas fachada? Melhor seria julgá-lo de olho no próprio site da BBC, sobre esses fatos.

As consequências não tardaram a surgir. Já faz tempo que os jornalistas mais conceituados da empresa colocaram o Twitter no modo silencioso e sumiram das redes sociais.  Essa postura fez alavancar as hashtags #Autocensura e #CaçaÀsBruxas.

Esses novos ventos comerciais, aparentemente puristas, que sopram hoje sobre a BBC, acompanham o ambiente conservador que varre a Inglaterra. Alguns julgaram como imperdoável o posicionamento do país em torno do Brexit. Quando o primeiro-ministro David Cameron convocou o referendo, para a maior glória de Nigel Farage e de toda a corte dos pró-Brexit, a BBC deu o seu melhor, mas foi considerada tendenciosa pelos conservadores. De fato, essa foi uma questão em relação à qual a BBC sabia que não poderia se posicionar de forma equidistante, diante das mentiras e temas venenosos que poderiam vir a manipular a opinião pública. O registro do que aconteceu agora repousa nas hemerotecas. Cabe lembrar do episódio da Cambridge Analytica e a sua mãozinha amiga no referendo, a favor do Brexit. A partir de agora, com a BBC na versão 4.0 e hiperequivocamente imparcial, não haverá mais problemas de dissidência com a política de manipulação. Pelo contrário, a imparcialidade terá se transformado em Omertà, dando seu toque britânico de elegância à Lei do Silêncio.

E se considerarmos que, além disso, essa nova roupagem imparcial, tal como propagada, vem acompanhada de austeridade e de cortes orçamentários, devemos acrescentar mais duas hashtags aos “trend topics” da empresa: #PavorDaSantaInquisição #PéNaBunda. Considerando que a maior parte das medidas de economia anunciadas vem do encolhimento da força de trabalho e parece que vai se afastar de “alguns formatos que não têm a cara da empresa”.

É… pelo visto querem rotular a nossa velha amiga, a BBC, de louca. Espero que isso aconteça em breve e que os profissionais se revoltem contra toda essa loucura.

 

Fontes: Novo diretor da BBC proíbe a seus jornalista opinarem no Twitter


Tradução do espanhol por Ivy Miravalles  / Revisão por Tatiana Elizabeth

Categorias: Cultura e Mídia, Europa, Opinião
Tags: ,

Boletim diário

Digite seu endereço de e-mail para assinar o nosso serviço de notícias diárias.

Search

Whatsapp

Pressenza Whatsapp

Informe Pressenza

Informe Pressenza

Caderno de cultura

Caderno de cultura

O Princípio do fim das armas nucleares

Documentário 'RBUI, o nosso direito de viver'

Canale YouTube

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

Arquivo

xpornplease pornjk porncuze porn800 porn600 tube300 tube100 watchfreepornsex

Except where otherwise note, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International license.