A Coragem da Não-Violência contra a Loucura das Armas Nucleares

26.10.2020 - Pressenza Athens

This post is also available in: Inglês, Francês, Grego

A Coragem da Não-Violência contra a Loucura das Armas Nucleares

Por Nikos Stergiou*

Em julho de 2017, depois de quase uma década, organizações de mobilização internacional pela não-violência e outras entidades alcançaram uma de suas maiores vitórias para a sociedade civil organizada em nível de diplomacia internacional. Foi o dia em que o Treaty on the Prohibition of Nuclear Weapons (Tratado de Proibição de Armas Nucleares) foi adotado por dois terços dos países membros das Nações Unidas. Três anos depois, o tratado havia sido assinado por 84 países, 46 dos quais o ratificaram. Restam somente 4 assinaturas para que entre em vigor. https://www.icanw.org/signature_and_ratification_status

Foi preciso uma vasta campanha bem como uma mobilização entre organizações, entidades e cidadãos durante mais de uma década para alcançar este resultado. Esse esforço coordenado levou à criação da International Campaign to Abolish Nuclear Weapons – ICAN (Campanha Internacional para a Abolição de Armas Nucleares), a qual ganhou o Prêmio Nobel da Paz em 2018. Desde o começo da batalha, os princípios utilizados pelo Treaty on the Prohibition of Nuclear Weapons (TPNW) foram estabelecidos baseando-se na ética da não-violência: o uso de armas nucleares é imoral, absoluta e indiscriminadamente, por causa da magnitude incontrolável da catástrofe que elas causam ao ser humano e ao meio ambiente. Além disso, a vasta quantia de recursos financeiros necessários para a manutenção de mais de 13.000 ogivas nucleares aproximou-se de $73 bilhões de dólares em 2019. Estes fundos poderiam ser direcionados para serviços públicos — Saúde, Educação, Proteção ao Meio Ambiente e Qualidade de Vida. https://www.icanw.org/global_nuclear_weapons_spending_2020

A partir de sua data de entrada em vigor, o TPNW proíbe países de desenvolver, testar, produzir, fabricar, transportar, portar, armazenar, usar, ou ameaçar usar armas nucleares ou permitir o seu desenvolvimento em seus territórios. Também os proíbe de dar assistência, encorajar ou incitar qualquer um a participar em qualquer uma destas atividades. É uma questão de “o começo do fim das armas nucleares”. https://www.youtube.com/watch?v=EDr89x6u_Os

Os nove países que possuem armas nucleares atualmente não assinaram ou ratificaram o TPNW. Alguns deles nem mesmo participaram das discussões na ONU sobre o texto final. Na Europa, apenas seis países assinaram e ratificaram o TPNW, três deles da União Europeia. A Grécia não participou das discussões sobre o texto final do TPNW, abstendo-se de votar sua aprovação, e não assinou ou ratificou o texto final. E observa-se que, a Grécia é um dos 21 países vinculados a acordos ou tratados individuais (como por exemplo a OTAN) a hospedar ogivas nucleares, se necessário.

Dentro desta insanidade da “utilidade” de armas nucleares e sua proteção ilusória, especialmente em países que as possuem, a chamada à ratificação do TPNW aos países que ainda não o fizeram continua. Já que armas nucleares foram desenhadas para destruir cidades, comunidades locais e municípios, todos desempenham um papel importante no levantamento da questão da sobrevivência humana, senão planetária. Com grande entusiasmo, a comunidade internacional que apoia o TPNW, aceitou em seu seio os primeiros dois municípios da Grécia que assinaram uma petição dirigida ao governo grego para ratificar o TPNW. Os municípios de Antiga Olímpia e Ayios Evstratios pavimentam assim, com coragem, o caminho para outros municípios em nosso país. E que a Grécia se una àqueles países que lutam por um mundo sem medo de uma catástrofe nuclear.

O movimento “World without Wars and Violence” (Mundo sem Guerras e Violência), como parceiro internacional do ICAN, faz o chamamento a outros municípios para seguirem o exemplo de Antiga Olímpia e Ayios Evstratios e cria um forte movimento de pressão na Grécia para a ratificação do TPNW pelo governo grego. Chegou a hora de colocarmos um fim às armas nucleares antes que elas ponham um fim na humanidade.


* Nikos Stergiou é o presidente da filial grega da organização “World without Wars and Violence”.

 

Traduzido do inglês por Luiz Eduardo Souza Ferreira / Revisado por Isabela Gonçalves

Categorias: Europa, Paz e Desarmamento
Tags: , , , , , ,

Boletim diário

Digite seu endereço de e-mail para assinar o nosso serviço de notícias diárias.

Pesquisa

Informe Pressenza

Informe Pressenza

Caderno de cultura

Caderno de cultura

O Princípio do fim das armas nucleares

Documentário 'RBUI, o nosso direito de viver'

Canale YouTube

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

Arquivo

xpornplease pornjk porncuze porn800 porn600 tube300 tube100 watchfreepornsex

Except where otherwise note, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International license.

maltepe escort