Vitória do povo negro e das favelas: STF exige mudanças imediatas na Segurança Pública do Rio

19.08.2020 - Rio de Janeiro, Brasil - Justiça Global

Vitória do povo negro e das favelas: STF exige mudanças imediatas na Segurança Pública do Rio

Vitória histórica das favelas do Rio de Janeiro! O Supremo Tribunal Federal (STF) impôs novas restrições à política de segurança pública do Estado, um grande passo no enfrentamento à brutalidade policial e ao racismo institucional. A decisão foi tomada no âmbito da ADPF (Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental) 635, conhecida como a “ADPF das Favelas”, ação apresentada pelo PSB (Partido Socialista Brasileiro) e construída coletivamente com a Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro, Educafro, Justiça Global, Redes da Maré, Conectas Direitos Humanos, Movimento Negro Unificado, ISER, Iniciativa Direito à Memória e Justiça Racial, Coletivo Papo Reto, Coletivo Fala Akari, Rede de Comunidades e Movimentos contra a Violência, Mães de Manguinhos, Conselho Nacional de Direitos Humanos – entidades admitidas como amicus curiae –, e também o Observatório de Favelas, Grupo de Estudos dos Novos Ilegalismos (Geni/UFF), Maré Vive, Instituto Marielle Franco, Fogo Cruzado e o CESeC.

O julgamento das medidas cautelares começou em abril e terminou na noite desta segunda-feira (17), com a determinação por unanimidade da proibição do uso de helicópteros blindados (os caveirões aéreos) como plataforma de tiros em operações policiais. Essa máquina de guerra coloca em risco a integridade física e a saúde mental dos moradores de favelas e periferias, que vivem sob constante tensão e terror. Foram proibidas também as operações em perímetros escolares e hospitalares e a utilização desses equipamentos como base operacional das polícias civil e militar.

Os ministros determinaram, ainda, que sejam preservados os vestígios da cena de crime praticados por policiais e que sejam evitadas as remoções indevidas de corpos, sob o pretexto de suposta prestação de socorro. Os órgãos de polícia técnico-científica do Estado devem documentar as provas periciais, laudos e exames de necropsia com o objetivo de assegurar a possibilidade de revisão independente. As investigações deverão atender as exigências do Protocolo de Minnesota, devendo ser rápidas, eficazes e completas, bem como independentes, imparciais e transparentes. O STF pede, ainda, que sejam priorizados casos que tenham crianças como vítimas.

Outra medida importante foi a suspensão da eficácia do artigo que excluiu os homicídios decorrentes de intervenção policial do Índice de Letalidade Violenta do Estado, cuja meta de redução serve como base para o cálculo das gratificações dos integrantes de batalhões e delegacias. Ou seja, a redução de homicídios cometidos pelos policiais volta a valer como critério de gratificação.

As determinações passam a valer assim que o Governo do Estado do Rio de Janeiro for notificado. Diferentemente da decisão que suspendeu as operações policiais no Rio, as medidas concedidas pelo Supremo nesta segunda não estão associadas à pandemia da Covid-19.

Nós, instituições e movimentos articulados no âmbito da ADPF 635, comemoramos a decisão da Suprema Corte brasileira, que reconheceu que as favelas fazem parte da cidade e que a política “do abate” adotada pelo governador Wilson Witzel viola direitos fundamentais e é racista. Continuaremos mobilizados para monitorar e cobrar o cumprimento das determinações.

Combinaram de nos matar, mas nós combinamos de não morrer!

A LUTA CONTINUA!

#FavelasPelaVida #VidasNegrasImportam #ADPF635 #ADPFdasFavelas

Categorias: Ámérica do Sul, Não violência, Nota de imprensa, Política
Tags: , , , ,

Boletim diário

Digite seu endereço de e-mail para assinar o nosso serviço de notícias diárias.

Search

Whatsapp

Pressenza Whatsapp

Informe Pressenza

Informe Pressenza

Caderno de cultura

Caderno de cultura

O Princípio do fim das armas nucleares

Documentário 'RBUI, o nosso direito de viver'

Canale YouTube

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

Arquivo

xpornplease pornjk porncuze porn800 porn600 tube300 tube100 watchfreepornsex

Except where otherwise note, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International license.