Comissão Interamericana de Direitos Humanos condena PM por massacre de Paraisópolis

08.12.2019 - São Paulo, Brasil - Redação São Paulo

Comissão Interamericana de Direitos Humanos condena PM por massacre de Paraisópolis
A comissão é um órgão independente da Organização dos Estados Americanos (OEA) (Crédito da Imagem: Mídia Ninja)

O órgão também solicitou que o estado de São Paulo revise os seus protocolos de segurança

Caroline Oliveira

Brasil de Fato

A Comissão Interamericana de Direitos Humanos condenou a ação da Polícia Militar de São Paulo que resultou na morte de nove jovens, na favela de Paraisópolis, zona sul da capital paulista, na madrugada de domingo (1º). A CIDH também insistiu na necessidade do Estado brasileiro investigar imediata e imparcialmente o ocorrido, punir os responsáveis e reparar às vítimas e os familiares.

Em novembro de 2018, a comissão veio ao Brasil e identificou que as forças de segurança realizam operações em comunidades pobres e com alta concentração de pessoas negras sem o devido respeito aos princípios de excepcionalidade, necessidade, proporcionalidade e legalidade. Nesse sentido, a CIDH também solicitou que o Brasil revise os protocolos de segurança com uma análise focada em direitos humanos.

O governador do estado, João Doria (PSDB), afirmou na segunda-feira (2) que a PM não havia causado as mortes, durante coletiva de imprensa. Depois, mudou de tom, afirmando que irá rever os protocolos de ação da polícia, em outra coletiva, na última quinta-feira (5).

Major Cibeli Marsolla – a porta-voz da corporação – afirmou que as imagens feitas do massacre devem ser averiguadas para saber a veracidade dos documentos, em entrevista ao programa Encontro com Fátima Bernardes, da TV Globo, na última terça-feira (3). Além disso, ela amenizou o ocorrido dizendo que as pessoas vão ao local “para roubar, cometer crimes”.

Relembre o caso

Na madrugada do último domingo (1º), uma ação policial em um dos maiores bailes funk da cidade, o Baile da Dz7, em Paraisópolis, que recebe em média cinco mil pessoas. De acordo com relatos de moradores, os agentes invadiram o local atirando, o que deixou pelo menos 20 pessoas feridas e 12 hospitalizadas, segundo a Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo.

Durante a ação, um grupo grande de pessoas foi espancado e encurralado em uma viela, deixando nove pessoas mortas por pisoteamento, como vídeos divulgado pela Ponte Jornalismo. A PM nega.

Em uma coletiva na tarde de domingo (1º), um outro porta-voz da PM, tenente-coronel Emerson Masseira, disse que as imagens divulgadas nas redes sociais sobre a ação dos policiais “sugerem excessos”. “Todas as imagens estão incluídas no inquérito policial militar para ser analisadas. (…) O rigor da apuração vai responsabilizar quem eventualmente cometeu algum excesso, algum abuso”, acrescentou.

CIDH

A comissão é um órgão independente da Organização dos Estados Americanos (OEA) e tem como função defender os direitos humanos. Sua composição é feita por sete membros independentes, que são eleitos pela Assembleia Geral da OEA, sem representarem seus países de origem.

Categorias: Ámérica do Sul, Direitos Humanos
Tags: , , ,

Boletim diário

Digite seu endereço de e-mail para assinar o nosso serviço de notícias diárias.

Search

Whatsapp

Pressenza Whatsapp

Informe Pressenza

Informe Pressenza

Caderno de cultura

Caderno de cultura

O Princípio do fim das armas nucleares

Documentário 'RBUI, o nosso direito de viver'

Canale YouTube

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

Arquivo

xpornplease pornjk porncuze porn800 porn600 tube300 tube100 watchfreepornsex

Except where otherwise note, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International license.