Cúpula do G20 tem guerra comercial EUA e China entre temas centrais

29.11.2018 - Brasilia, Brasil - Agencia Brasil

Cúpula do G20 tem guerra comercial EUA e China entre temas centrais
Buenos Aires, manifestantes contra a reunião do G20 (Crédito da Imagem: Emergentes)

Evento reúne em Buenos Aires líderes das maiores economias mundiais

Os líderes que se reunirão na Cúpula do G20, que começa nesta sexta-feira (30) e vai até sábado (1º), em Buenos Aires, cumprirão uma agenda de prioridades e participarão de múltiplas reuniões bilaterais, tendo a guerra comercial entre Estados Unidos e China como um dos temas centrais.

O evento reunirá, além dos chefes de Estado e governo das 20 economias mais desenvolvidas e emergentes integrantes do grupo, a Espanha, país convidado permanente, o Chile e a Holanda, bem como convidados da Argentina e  representantes de organismos internacionais como as Nações Unidas e o Fundo Monetário Internacional (FMI).

Estes são os principais nomes da cúpula do G20:

Mauricio Macri – O presidente argentino será o anfitrião da primeira cúpula realizada na América do Sul por ocupar a presidência rotativa do G20, algo que Macri considera uma demonstração de confiança do mundo em seu país, em meio a uma delicada situação econômica interna.

Donald Trump – Como já ocorreu na estreia de Trump no G20, no ano passado, na Alemanha, o papel do presidente americano será crucial novamente. Em Hamburgo, Trump não assinou um acordo favorável a medidas contra as mudanças climáticas, mas deu o braço a torcer para assinar um compromisso a favor do livre-comércio, temas que continuarão sobre a mesa em Buenos Aires.

Vladimir Putin – Sempre com diversas frentes abertas no âmbito internacional, o presidente russo chega ao G20 em meio à crise gerada pelo uso da força contra a Marinha da Ucrânia, país vizinho. O assunto fez com que Trump anunciasse o cancelamento da reunião que teria com Putin neste fim de semana.

Xi Jinping – Presidente da China desde março de 2013, Xi Jinping terá um dos encontros mais aguardados da ocasião, com Donald Trump. A reunião é importante para o desenvolvimento da própria cúpula devido à guerra comercial entre os dois países.

Mohammed Bin Salman – O príncipe herdeiro da Arábia Saudita tornou-se foco de uma polêmica de repercussão mundial, devido ao assassinato do jornalista Jamal Khashoggi no Consulado Saudita em Istambul. A Agência Central de Inteligência dos Estados Unidos (CIA) concluiu, segundo a imprensa americana, que Bin Salman ordenou o crime.

Recep Tayyip Erdogan – Presidente da Turquia desde agosto de 2014, Erdogan ainda não confirmou uma possível reunião com Bin Salman. O encontro focaria na repercussão do caso de Khashoggi. Erdogan critica a falta de colaboração das autoridades sauditas no esclarecimento do assassinato.

Angela Merkel – A chanceler da Alemanha, assim como Erdogan, participou de todas as reuniões do G20 desde a primeira, realizada em 2008, em Washington. No poder desde novembro de 2005, já anunciou a decisão de não se candidatar às próximas eleições.

Emmanuel Macron – Em sua primeira viagem à América Latina desde maio de 2017, quando tomou posse, o presidente da França chega a Buenos Aires com baixa popularidade, segundo as pesquisas, e após realizar uma série de discursos nos quais priorizou a importância do livre-comércio, do combate à mudança climática e do multilateralismo.

Justin Trudeau – Primeiro-ministro canadense desde novembro de 2015, Trudeau formalizará na Argentina, se as previsões não falharem, o novo acordo comercial entre Estados Unidos, México e Canadá junto a Trump e ao presidente mexicano, Enrique Peña Nieto.

Theresa May – A primeira-ministra do Reino Unido buscará apoio internacional ao seu questionado projeto de Brexit, após o acordo estabelecido com a União Europeia, antes que seja votado pela Câmara dos Comuns no dia 11 de dezembro.

Enrique Peña Nieto – O presidente mexicano voltará a seu país ainda durante a cúpula, no sábado, para passar a faixa presidencial a Andrés Manuel López Obrador, mas antes tentará selar o acordo entre Estados Unidos, México e Canadá. Embora não faça parte da agenda, a crise migratória na fronteira do México com os Estados Unidos também deverá ser abordada na cúpula.

Jean-Claude Juncker – O presidente da Comissão Europeia chega a uma cúpula marcada pela possibilidade de avançar nas já dilatadas negociações do acordo de livre-comércio com o Mercosul e com o Brexit.

Categorias: Ámérica do Sul, Internacional, Política
Tags: , , ,

Boletim diário

Indique o seu e-mail para subscrever o nosso serviço diário de notícias.


Milagro Sala

Canale youtube

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

Arquivo

Except where otherwise note, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International license.