Crianças participaram de um protesto na cidade de São Paulo em apoio à greve dos professores municipais. A seguir temos uma entrevista com Anne Rammi, ativista e uma das participantes do movimento Novos Diálogos da Escola Pública, que organizou a marcha dos pequeninos ruma a uma educação de qualidade.

Pressenza Brasil – Qual é a importância das mães apoiaram a greve das professoras e professores da cidade de São Paulo?

Anne Rammi – Além do apoio a greve as mães e pais devem estar juntos dos educadores. Por que o que nos une como interesse essencial é a criança, se nosso elo de educação é a criança pais e mães fazem parte do mesmo grupo, do mesmo tipo de educação de qualidade que nós queremos para elas.

P.B. – Quais são as reivindicações dos docentes municipais da cidade de São Paulo?

A.R. – O arquivamento do PL 621/16 que mexe no salário deles [servidores municipais] e nas prerrogativas de aposentadoria dos mesmos. Um projeto que abre espaço para uma visão privatizadora da educação pública.

P.B. – Tem mais alguma coisa que você gostaria de dizer?

A.R. – Como pais e mães nós apoiamos o direito à greve como um direito constitucional do servidor e do trabalhador. As famílias estão se unindo para promover uma educação respeitadora e laica. A escola pública não é apenas o emprego de professor. Se constitui como um direito inalienável da criança. Nos unimos nessa perspectiva, que é o direito da criança a infância que infelizmente nossa sociedade esquece.

(Imagem - Mídia Ninja)

(Imagens – Mídia Ninja)