Declaração da República da Catalunha: um sonho realizado

05.11.2017 - Barcelona, Catalunha - Raquel Paricio

This post is also available in: Inglês, Espanhol, Francês, Italiano, Alemão, Catalão, Grego

Declaração da República da Catalunha: um sonho realizado

Ontem, 27 de outubro de 2017, o Parlamento da Catalunha declarou sua independência. Sabemos que é uma ação simbólica que tem um longo caminho a percorrer para se perpetuar em uma República Catalã, mas a seriedade da situação política levou à aceleração do processo. Seis horas depois da declaração, o governo de Rajoy rejeita o governo catalão além de convocar eleições para dezembro.

Sabia-se que o risco era grande, não seria de outra forma, porque os dois trens estavam no mesmo caminho indo em direções opostas. Na Plaça Sant Jaume, onde se encontra o Palácio da Generalitat e a Câmara Municipal, ocorreu uma celebração de alegria gigantesca. O sonho de gerações de catalães tem teve o seu despertar, e essa alegria, com consciência ou não das consequências  subsequentes, deve ser ouvida, porque tal felicidade foi conquistada com ações coerentes, afinal, é legítimo poder expressar uma opinião, um desejo geral de respeitar uma cultura, um povo, suas raízes e seu desejo de se governar independentemente das instituições impostas e além das leis não votadas pelos cidadãos atuais.

A declaração foi feita com a frase: “A República Catalã é constituída como um estado independente e soberano”, com 70 votos a favor, 10 contra e 2 em branco de um total de 135 deputados. “Estes são tempos difíceis, de tensão, mas não temos alternativa”, disse Marta Rovira, porta-voz da Juntos pelo Sim (coalizão de partidos da independência). Rovira deixou clara a resposta: “Estamos aqui para cumprir o mandato de 1º de outubro … Os cidadãos nos garantiram o país e agora é nosso trabalho garantir-lhes o Estado”. Suas declarações continuaram sem rodeios, dando poder ao cidadão: “Construir um estado como nos propomos fazer significa que o poder do Estado nunca pode estar acima do poder das pessoas”.

Com essas declarações e a ação do povo catalão nas pesquisas em  1º de outubro, não há mais como não pensar em uma proposta futura: as leis terão de ser determinadas pelos cidadãos, renovadas de acordo com o passar do tempo.

 

Categorias: Europa, Opinião, Video

Boletim diário

Indique o seu e-mail para subscrever o nosso serviço diário de notícias.


Milagro Sala

Canale youtube

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

Arquivo

Except where otherwise note, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International license.