Cientistas brasileiros declaram apoio a colegas norte-americanos mobilizados contra Trump

10.02.2017 - São Paulo, Brasil - Opera Mundi

Cientistas brasileiros declaram apoio a colegas norte-americanos mobilizados contra Trump
(Crédito da Imagem: Geoff Livingston)

Em carta, SBPC manifesta repúdio a proibição da entrada de cidadãos de sete países nos EUA e se une a iniciativas de cientistas e acadêmicos pelo mundo que promovem boicote a conferências no país.

A SBPC (Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência) declarou “total apoio” aos cientistas norte-americanos que se manifestaram contra as restrições impostas pelo novo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, para entrada de estrangeiros no país. A solidariedade foi manifestada em carta enviada nesta segunda-feira (06/02) pelos brasileiros para a AAAS (American Association for the Advancement of Science), entidade coirmã da SBPC, mas se estende a toda comunidade científica mobilizada contra as medidas que podem afetar, inclusive, a livre circulação de pesquisadores e professores.

“Consideramos que estas restrições à mobilidade, baseadas em preconceitos racistas ou nacionalistas, são inconcebíveis e inaceitáveis”, afirma a SBPC no documento.

Assinado no dia 27 de janeiro, sob a justificativa de impedir o acesso de terroristas radicais islâmicos, um decreto executivo de Trump proibiu a entrada de cidadãos do Irã, Iraque, Líbia, Somália, Sudão, Síria e Iêmen nos EUA.

Milhares de cientistas norte-americanos já estão mobilizados contra a proibição e ameaçam boicotar eventos científicos no país para protestar contra a medida.

“Nos comprometemos a não participar de conferências cientificas nos Estados Unidos a que não possam ir todos [os convidados], independentemente da sua nacionalidade ou religião”, afirma uma nota publicada pela organização Science Undivided, que já recolheu assinaturas de apoio de mais de 350 cientistas. De acordo com a entidade, “o pensamento científico é uma herança comum da humanidade”.

A União Astronômica Internacional realizou uma petição online que já reuniu cerca de seis mil assinaturas. “Apelamos ao presidente [Trump] para que retire esta barreira à ciência e à colaboração internacional. A comunidade da astronomia se recusa ser dividida e os signatários afirmam que, por uma questão de consciência, não podem continuar a gozar de privilégios de que outros colegas, estudantes e professores estão arbitrariamente excluídos”, diz o comunicado da União Astronômica.

Até mesmo as principais empresas de tecnologia da informação nos EUA já se manifestaram contra a proibição de Trump. Apple, Facebook, Google, Microsoft, Netflix, Twitter e Uber apresentaram, no Tribunal de São Francisco, na Califórnia, um documento em que se opõem à medida e pedem sua anulação.

Leia, na íntegra, a carta enviada pela SBPC para a AAAS clicando aqui.

Categorias: Ámérica do Sul, Direitos Humanos, Internacional
Tags: , , , , , , ,

Boletim diário

Indique o seu e-mail para subscrever o nosso serviço diário de notícias.


Milagro Sala

Canale youtube

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

Arquivo

Except where otherwise note, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International license.