TEATRO

Por Marrom Glacê

 

Celebração pelos 10 anos do Comboio Coletivo Artístico reúne programação gratuita com apresentações do espetáculo autoral “Aquário” além de exposição, performances, oficina e roda de conversa.

 

Entre 02 e 31 de Julho o Parque das Ruínas, aparelho cultural do Município do Rio de Janeiro, recebe gratuitamente as atrações da “Mostra Comboio – 10 anos de pesquisa artística”, que reúne trabalhos de diferentes linguagens do Comboio Coletivo Artístico. Desde sua origem, quando os integrantes se formaram na Escola de Teatro Martins Pena, a companhia investiga o corpo do ator como cerne da criação teatral, a partir de um processo colaborativo que tem como premissa a horizontalidade nas relações entre os artistas. A programação do evento multiartístico conta com a exposição “Deságua”, a oficina “Corpo-Autor”, uma roda de conversa com os artistas e a curadora da exposição e o espetáculo autoral “Aquário”.

A peça, cuja última montagem aconteceu em 2015, é fruto de uma pesquisa continuada, iniciada em 2011, com ênfase na criação de uma dramaturgia textual-corporal. Revisitada e atualizada pelo coletivo durante a pandemia, a narrativa mostra uma inundação provocada por um homem negro e gay imerso em memórias. Na imagem de um peixe de estimação, o personagem enxerga a necessidade de se libertar do aquário em que vive.

“Assim que nos formamos, decidimos construir juntos uma dramaturgia que estava muito atrelada ao corpo e às ações físicas, sem, entretanto, abrir mão da palavra e da estrutura narrativa clássica. Aos poucos, foi se desenhando a história de uma família que se prepara para a festa de aniversário de Seu Filho, em cenas que se espaçam ao longo dos anos. Desde então, fomos compreendendo as escolhas que fizemos e jogando luz sobre as fronteiras borradas entre nós e nossos personagens, numa espécie de auto-arqueologia em que descobrimos a nós mesmos em nossa dimensão pessoal, poética e política”, sintetiza Julia Shimura, diretora do espetáculo ao lado de Leonardo Samarino.

Destacando o corpo como criador de dramaturgia, a partir de um trabalho que exige um rigor técnico de cada ator, o Comboio constrói uma linguagem híbrida por meio de experimentos em teatro, dança, artes visuais e música. “É um processo de contínua descoberta. Somos artistas que têm sua trajetória também para além do coletivo, em esferas distintas e complementares. Somos diversos, isso nos enriquece e alimenta o grupo. Desde que nos juntamos, a busca é por uma linguagem que expresse artisticamente como o mundo reverbera em nós”, relembra Nívea Santana, atriz e preparadora corporal.

Assim, “Aquário” recebeu interferência de várias esferas. “Estudamos Laban, Robert McKee, Pina Bausch, Samuel Beckett, Luis Antônio Simas e Jodorovski. É numa encruzilhada entre teatro, dança e performance/rito que nos encontramos. Mais do que uma dramaturgia, descobrimos, nesse longo processo de pesquisa, as nossas poéticas, investigações e metodologias, fazendo com que o espetáculo seja, além do ponto de partida do coletivo, o lugar para o qual ele sempre retorna para construir novos projetos”, reitera Julia, também atriz do espetáculo.

Nesta grande celebração, o público pode esperar uma programação crítica e criativa. “É uma alegria muito grande podermos compartilhar tudo o que desenvolvemos ao longo desses anos. O nosso maior desejo com esse evento é a troca. É contagiar e sermos contagiados com a presença de cada pessoa, que traz consigo suas histórias, memórias, desejos…”, finaliza Anderson Barreto, ator e dramaturgo da peça.

SOBRE O COMBOIO COLETIVO ARTÍSTICO:

O Comboio nasceu em 2011 com o espetáculo “A viagem do Capitão Fracassa”, inspirado na obra de Téophile Gautier, com direção de Marcos Henrique Rego. A peça, que fez temporada no Teatro Armando Costa e participou de mostras e festivais, foi resultado do curso de formação de atores da Escola Técnica Estadual de Teatro Martins Penna. Ao final do ciclo deste espetáculo iniciou-se a pesquisa cênica do coletivo, que daria origem a “Aquário”, sua primeira dramaturgia original. A partir desses estudos, o grupo descobriu suas poéticas, investigações e metodologias. Além disso criou, um vasto material audiovisual e performativo, duas pesquisas acadêmicas que vem sendo explorado e revisitado nos últimos anos.

Espetáculos:

– A viagem do Capitão Fracassa (2011)

– Aquário (2013 – em work in progress)

Teaser: https://www.youtube.com/watch?v=a4smvlcq5CE&ab_channel=OComboio

Redes Sociais:

Site: https://comboiodecorda.wixsite.com/comboio

Instagram: @ocomboio

SERVIÇO:

EXPOSIÇÃO “DESÁGUA”

QUANDO: 02 a 30 de julho

HORÁRIOS: Quinta a domingo – 9h às 16h

ONDE: Galeria Túnel / Parque das Ruínas

ENDEREÇO: Rua Murtinho Nobre, 169 – Santa Teresa – Rio de Janeiro

CLASSIFICAÇÃO: Livre

O que te faz mergulhar em si mesmo? Deságua é um convite, um ritual de cura, uma encruzilhada, um encontro consigo mesmo e uma festa de aniversário coletiva. Uma exposição interativa, imersiva, em processo, que convida o público a mergulhar nas suas águas internas. O Comboio Coletivo Artístico celebra sua primeira década de existência partilhando seus processos íntimos com o espectador. Ao refletirem sobre suas vidas nos últimos 10 anos, os artistas do coletivo te convidam a também se investigar e a desaguar junto.

Curadoria: Renata Sampaio

Cenografia: Carla Ferraz, Camila Morais e Comboio Coletivo Artístico

Artistas: Anderson Barreto, Hebert Said, Júlia Shimura, Leonardo Samarino e Nívea Santana.

ESPETÁCULO “AQUÁRIO”

TEMPORADA: 09 a 24 de julho

HORÁRIOS: Sábados e Domingos – 19h

INGRESSOS: Gratuitos pelo Sympla – https://www.sympla.com.br/produtor/comboio

ONDE: Teatro Ruth de Souza – Parque das Ruínas

ENDEREÇO: Rua Murtinho Nobre, 169 – Santa Teresa – Rio de Janeiro

CLASSIFICAÇÃO INDICATIVA: 14 anos

SINOPSE: Seu Filho, um homem negro e gay, divide a casa com Mãe, Pai, Peixe e Ela, empregada doméstica da família. No seu trigésimo terceiro aniversário, ele rememora momentos que ocorreram nesta mesma data em anos passados, o que o leva a comemorar o presente de maneira inusitada – provocando uma inundação em sua própria casa.

FICHA TÉCNICA – “AQUÁRIO”

Dramaturgia original: Comboio Coletivo Artístico

Direção: Júlia Shimura e Leonardo Samarino

Texto: Anderson Barreto e Leonardo Samarino

Elenco: Anderson Barreto, Hebert Said, Júlia Shimura, Leonardo Samarino e Nívea Santana

Cenografia: Comboio Coletivo Artístico

Figurino: Carla Ferraz

Produção de objetos: Camila Morais

Iluminação: Hebert Said

Trilha original: Pedrinhu Junqueira

Preparação corporal: Nívea Santana

Intérpretes de libra: JDL Traduções

Operador de som: Pedrinhu Junqueira

Operadora de luz e mapping: Carol Godinho

 

OFICINA “CORPO-AUTOR”

QUANDO: 30 e 31 de julho

HORÁRIOS: Sábado e Domingo – 16h às 19h

20 vagas

INSCRIÇÕES: comboiodecorda@gmail.com (minicurrículo + carta de intenção)

O objetivo é investigar caminhos físicos e expressivos para a composição de um corpo cênico criador de dramaturgia. Destinada a estudantes, pesquisadores, atores e pessoas interessadas em teatro e performance.

CLASSIFICAÇÃO: 16 anos

RODA DE CONVERSA

QUANDO: 31 de julho – domingo – 14h

MEDIADORES: Renata Sampaio e Comboio Coletivo Artístico

ONDE: Galeria Túnel – Parque das Ruínas

ENDEREÇO: Rua Murtinho Nobre, 169 – Santa Teresa – Rio de Janeiro

Com transmissão ao vivo Pelo Youtube – Canal: Comboio Coletivo Artístico

Serão abordados os processos de pesquisa, curadoria e produção artística, considerando questões como corpo, raça, territórios etc.

 

FICHA TÉCNICA DA “MOSTRA COMBOIO – 10 ANOS DE PESQUISA ARTÍSTICA”

Idealização: Comboio Coletivo Artístico

Produção Executiva: Júlia Shimura e Leonardo Samarino

Produção: Comboio Coletivo Artístico

Assistente de Produção: Jéssika Kramorim

Designer Gráfico: Alice Cruz

Assessoria de Imprensa: Marrom Glacê Assessoria

Controller/ Produção Financeira: Kauane Ribeiro e Tayara Maciel