MÚSICA

Por Marrom Glacê

 

JOSY.ANNE LANÇA “MOZAMBA”,

SEU PRIMEIRO ÁLBUM

Adentrando a perspectiva feminina sobre o universo do Reinado mineiro, a multiartista que tem passagem pelo teatro musical desbrava caminhos sonoros autorais.

 

Revestido de autenticidade sonora e respeito à ancestralidade, Josy.Anne lança o álbum “Mozamba”. O novo trabalho da cantora, atriz e diretora musical mineira estará disponível nas plataformas digitais em 20 de janeiro e conta com a participação de Babadan Banda de Rua, Júlia Tizumba e o mestre Maurício Tizumba. A voz e o tambor mineiro regem a dramaturgia rítmica das canções, enquanto a percussão e beats eletrônicos se fundem a timbres de piano, violão e guitarra, formando um universo mântrico de tecnologias ancestrais.

Com ancoragem na perspectiva das mulheres sobre o universo do reinado, as canções do disco foram gestadas a partir da inspiração e diálogo com as capitãs Pedrina e Ester Antonieta, a atriz Kátia Aracelle e a rainha konga Ana Luzia da Silva Moraes, todas do Massambique de Nossa Senhora das Mercês, da cidade de Oliveira, em Minas Gerais (Os Leonídeos), e da poeta, ensaísta e dramaturga Leda Maria Martins. “Mozamba se soma ao território musical contemporâneo da negra ressonância mineira de forma festiva, reflexiva e polifônica”, pondera Josy.Anne.

“Eu canto a travessia desses corpos diaspóricos com fé e festa, trago uma sonoridade inédita, simples e complexa, coisas que só o mercado independente proporciona. Trago a sonoridade do reinado como direcionamento da identidade musical das canções. A voz e o tambor costurando as melodias das palavras poéticas; a voz e as melodias vocais, misturado aos ritmos dos tambores mineiros, são os principais elementos de comunicação do disco, os ruídos e beats eletrônicos, misturado a tambores e texturas do teclado, formam uma cama para a voz e tambor mineiro”, adianta Josy.Anne sobre o disco contemplado pelo Fundo Municipal de Cultura de Belo Horizonte.

As faixas “Manganá” e “Labareda” contam com a participação da big band afro mineira Babadan Banda de Rua, como uma homenagem às tradicionais bandas do interior de Minas, enquanto Maurício e Julia Tizumba surgem na faixa “Canela Fina”. “Busco me conectar com artistas que estão engajados na musicalidade de seus territórios. Ter a voz de pai e filha em uma canção que fala de território é muito simbólico e emocionante, e é nesse território banto mineiro que a canção passeia. O ecossistema da música brasileira precisa vivenciar a música afro mineira na grandiosidade que ela é. Para mim, ela representa o braço cultural contemporâneo desse país”, ressalta Josy.

TRAJETÓRIA ARTÍSTICA

Josy.Anne fez curso e extensão em canto lírico na UFMG e, ao conhecer o Centro Cultural Tambor Mineiro, passou a fazer aulas do instrumento. “Sinto que foi tocando tambor que me senti artista pela primeira vez”, relembra. A música a levou ao teatro, tornando Josy.Anne atriz de formação e integrando-a ao elenco de musicais de grande porte, como “O Rei Leão”, “Mudança de Hábito” e “Ghost”. “A voz é um dos meus talentos – sinto ser o principal. O teatro sempre está atrelado a música em minha trajetória artística e era nas coxias dessas produções que eu buscava inspiração para desenhar minha carreira autoral”, relembra. Em 2016 Josy.Anne lançou seu primeiro single, “Espelho”, logo depois, o primeiro EP, “Essência”.

Desde então, Josy.Anne vem experimentando um repertório de ritmos e poesias dentro do espectro da música afro-mineira. Esse mergulho na cultura do reinado proporcionou entendimento sobre a qual território musical a artista pertence, e ela sente que para se expressar subjetivamente esse percurso de shows e apresentações solo foi importante. Nesse processo, ela pôde entender a forma que compõe e a maneira que deseja se apresentar. Assinando a direção musical de “Mozamba”, a cantora percebe que ser independente a ajuda a trazer para ele o que pretende dizer há muito tempo através da sua música. O disco produzido em parceria com Ipori Art Project, Bendito Ofício e Sinergia Projetos Cultura foi realizado com recursos da Lei Municipal de Incentivo à Cultura de Belo Horizonte”.

FICHA TÉCNICA:

Concepção, Composições e Direção Musical: Josy.Anne

Produção Criativa: Maya Quilolo

Produção Executiva: Ipori Art Project

Direção Artística: Maré de Matos

Produção Musical: Richard Neves e PodeSerDesligado

Gestão Financeira: Alcione Rezende e Barbara Navarro

Assessoria de Imprensa: Marrom Glacê Assessoria – Gisele Machado & Bruno Morais

Produção de Shows: Zé Alexandre – ZporZ Mult Artes

Mixagem e Masterização: Felipe Fantoni – Studio Leve BH

Gravação de Vozes: Maurício Caetano – Studio Traquitana – SP

Voz, Tambores e Vocais: Josy.Anne

Convidades: Babadan Banda de Rua, Débora Costa, Egler Bruno, Júlia Tizumba,Maurício Badé, Maurício Tizumba

Poesia: Maré de Matos

Programações, Beats e Ambiências: PodeSerDesligado

FAIXAS:

1 – JIKULA

2 – BERÊ BERÊ

3 – CANELA FINA

4 – CANTA E DANÇA CRIOLO

5- LABAREDA

6 – PEDRA PRETA

7- CAPITÃ

8 – DOMERCÊS

9 – TAMBORIM

10 – MANGANÁ

11 – OLÊ