MÚSICA

Por Renan Simões

 

Atlantis (1973), de Daniel Salinas, tem uma das aberturas de álbum mais incríveis de todos os tempos, com Straussmania, uma ressignificação altamente relevante de um tema bem conhecido de Richard Strauss, realizado por Sergio Sá, pianista e organista do álbum. Vale notar, entretanto, que há diferentes versões do álbum, e Straussmania configura tanto como primeira quanto como quarta faixa.

O álbum é instrumental, e se destaca entre os geralmente genéricos álbuns que propõem covers instrumentais de músicas cantadas, através dos impecáveis arranjos e regência de Daniel Salinas, e brilhantes atuações dos músicos participantes. Após a empolgante abertura, temos a bela Like a rainy night. A flauta de No broken hearts pode até ser desafinada, mas este defeito até que contribui para a fragilidade do tema e do arranjo, ao qual se segue o ótimo Baião, composição de Sergio Sá e Daniel Salinas.

O álbum perde a força em seu lado B, com os regulares covers de Bridge over troubled waters, de Simon & Garfunkel, e Atlantis, de Donovan, mas apresenta também um belo poema musical em A song for a helping hand. Como um todo, um registro nostálgico, mas libertador; efusivo, mas introspectivo.

Daniel Salinas, Atlantis, covers instrumentais com muita poesia! Ouça, desfrute, reflita, repasse: