MÚSICA

 

 

Por Renan Simões

 

 

Bruno Kalic, Lucius Kalic, Matheus Cutini e Renan Simões já eram parceiros musicais desde 2006, especialmente em uma banda de metal progressivo do Espírito Santo – que teve pelo menos três nomes diferentes. Renan Simões e Sabrina Souza realizam apresentações de música de concerto e música pop desde 2011.

Em maio de 2014, Renan (baixo, violão e vocal), Sabrina (violão e vocal) e Bruno (bateria) se juntaram para realizar os arranjos de base das músicas que viriam a integrar o seu EP como nankimm. A bateria foi gravada no segundo semestre de 2014.

Após obstáculos da vida, as partes de guitarras (Lucius) e teclados (Matheus) foram elaboradas e gravadas entre janeiro e fevereiro de 2015. Os vocais só foram gravados em fevereiro de 2016, após muitos outros desencontros. Roger Rocha, responsável pela captação, mixagem e masterização do EP, potencializou ainda mais o espírito do projeto com a inclusão de sons sampleados e efeitos.

A banda ainda não tocou ao vivo e nem tirou uma foto com todos juntos. O EP é constituído por duas composições de Renan Simões (Estrelas e Cereja), uma composição de Horácio Simões e Jonas Reis (Outono), e dois covers (de Alanis Morissette e The Dissociatives).

O que mais amávamos na época da gravação era Beck, Bon Iver, Death Grips, Deep Purple, Dream Theater, Frank Ocean, Gimu, King Crimson, Milton Nascimento, My Bloody Valentine, Neon Indian, Nobuo Uematsu, Pat Metheny, Radiohead, Sepultura, Silva, Silverchair, Steve Vai, Tame Impala, The Beatles, Yes, e outras dezenas de artistas da música pop e compositores da música de concerto ocidental.

We’re much preferred customers é uma música do duo australiano The Dissociatives, uma das primeiras que Sabrina e eu tocamos juntos, muito especial para nós, e que abarca muitos elementos musicais que admiramos. Esse clássico-absoluto-relegado-ao-esquecimento do rock alternativo, que antes realizávamos com dois violões e duas vozes, ganha aqui proporções épicas:

 

Estrelas é uma composição da minha adolescência, mais precisamente do ano de 2004, que foi ligeiramente revisada para esta gravação. A inventividade de cada instrumentista em suas partes do arranjo cria um todo coeso e equilibrado, permitindo que pop radiofônico, extravagâncias progressivas e distorções sonoras coexistam em perfeita harmonia:

 

 

Cereja, também de 2004 e revisada para o EP, é uma conflituosa e realista canção de amor. Basicamente, há vozes, violões e sons sampleados. É talvez a composição mais intrincada deste conjunto:

 

 

Como se pode observar pelas faixas anteriores, encontramo-nos em um terreno musical mais reflexivo, espacial, introspectivo, distorcido, progressivo e onírico. Entretanto, nos sentimos muito bem e à vontade tocando nossa versão pé-no-chão, funkeada e de sonoridade seca e direta de You oughta know, de Alanis Morissette – com algumas citações de Sowing the seeds of love do Tears for Fears:

 

 

A finalização do registro se dá com a inexorável Outono, música de Horácio Simões (meu pai) e letra de Jonas Reis. Tentamos captar, em nosso arranjo, toda a magnitude da composição, até então inédita:

 

 

Por fim, minha eterna gratidão a Sabrina Souza, Bruno Kalic, Lucius Kalic, Matheus Cutini e Roger Rocha, por serem artistas tão profissionais e parceiros na realização desse grande sonho: produzir músicas pop com máxima liberdade criativa e ficar profundamente feliz e satisfeito com o resultado.