Por Carolina Messias

A Mostra de Cinemas Africanos em parceria com Cineclube Mário Gusmão abre inscrições para o curso “Cinemas Africanos na História e Teoria do Cinema” que acontece de forma online e gratuita entre os dias 17 a 27 de fevereiro de 2021.

As inscrições acontecem de 01 a 11 de fevereiro do site e tem como público estudantes e professores universitários de cinema, preferencialmente da rede pública de ensino.

Os conteúdos referentes às discussões apresentadas serão previamente encaminhados via e-mail, além de um acervo de filmes africanos para uso em sala de aula. O resultado da seleção será divulgado dia 14 de fevereiro no site da Mostra de Cinemas Africanos.

acervo de filmes africanos para uso em sala de aula.

O curso oferece 50 vagas e é dividido em sete aulas, com três horas de duração cada, das 18 às 21 horas (segunda, quarta e sexta) e das 15 às 18 horas (aos sábados), ao longo de duas semanas.

Ministrado pelas pesquisadoras Ana Camila Esteves e Jusciele Oliveira, o curso propõe discutir as histórias e teorias do cinema em sua articulação com os cinemas africanos.

repertório e ferramentas de análise para estudantes e docentes

Segundo as pesquisadoras, a iniciativa tem como objetivo fornecer repertório e ferramentas de análise para que tanto alunos como professores possam compreender o lugar dos cinemas africanos no estudo e pesquisa em cinema.

Serão aulas de caráter expositivo e acompanhadas da exibição de trechos de filmes de cineastas africanos que abordarão temas como: nomenclaturas associadas aos filmes africanos, abordagens possíveis do cinema de autor e autoria, dos gêneros cinematográficos e documentários, além de articular questões de espectatorialidade, difusão (festivais e Netflix) e atividade da crítica de cinema no Brasil, propondo novos contextos de análises temáticas, teóricas, historiográficas e estéticas.

O projeto tem apoio financeiro do Estado da Bahia por meio da Secretaria de Cultura e da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Programa Aldir Blanc Bahia) via Lei Aldir Blanc, direcionada pela Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo, Governo Federal.

O artigo original pode ser visto aquí