“Que seja o fim”, Snowden tuitou de seu exílio na Rússia, após ouvir a sentença a favor do fundador do Wikileaks. O ex-analista de inteligência também é processado pelos Estados Unidos por espionagem.

O ex-analista de inteligência estadunidense Edward Snowden disse que esperava que a recusa da Grã-Bretanha em extraditar Julian Assange marque “o fim” das tentativas de trazer o fundador do WikiLeaks aos Estados Unidos para ser julgado por acusações de espionagem.

“Que seja o fim”, Snowden, um exilado na Rússia, tuitou, que depois um tribunal britânico se recusou a extraditar Assange para os EUA por espionagem por publicar centenas de milhares de documentos secretos.

Snowden também é processado pelos Estados Unidos por espionagem depois que vazou que a Agência de Segurança Nacional (NSA) coleta maciçamente informações de telefones e redes sociais de milhões de pessoas.

Desde 2013 vive exilado na Rússia e no ano passado anunciou que se candidataria à nacionalidade russa.

 


Traduzido por Tatiana Elizabeth / Revisado por Ivy Miravalles

 

O artigo original pode ser visto aquí