Pressenza participa da celebração dos 50 anos das relações entre a China e o Chile

22.12.2020 - Santiago de Chile - Redacción Chile

This post is also available in: Inglês, Espanhol, Francês, Alemão, Grego

Pressenza participa da celebração dos 50 anos das relações entre a China e o Chile

Ocorreu no dia 15 de dezembro, através de um ato comemorativo on-line, a celebração do 50° aniversário das relações diplomáticas entre a China e o Chile. Estiveram em destaque os intercâmbios culturais tão necessários para o conhecimento mútuo de diferentes perspectivas: história, literatura, ensino, papel dos meios de comunicação, eventos culturais etc.

Nessa oportunidade, tiveram a palavra o ex-Presidente da República do Chile, Eduardo Freire; o atual Embaixador do Chile na China, Luis Schmidt; a Conselheira Cultural da China no Chile, Yang Changqing; o Diretor do Centro de Estudos Latino-Americanos sobre a China da Universidade Andrés Bello de Chile, Fernando Reyes Matta; o Professor da Universidad de Lengua y Cultura de Beijing, Sun Xintang; a Co-Diretora da Pressenza, Pía Figueroa; a Diretora do Departamento de Espanhol do Centro de Programas de Línguas Europeias e Latino-Americanas do Grupo de Meios de Comunicação da China, Yin Xiaotong; o CEO da Rádio Cooperativa, Luis Ajenjo; e o ex-Presidente da Sociedade de Escritores do Chile, Ramón Díaz.

O vídeo a seguir informa sobre a importante celebração (en español):

Além disso, reproduzimos aqui as palavras que a Co-diretora chilena da Pressenza, a senhora Pía Figueroa, pronunciou em nome de toda a nossa agência, nessa oportunidade:

“Em primeiro lugar, queria cumprimentar-lhes e dizer-lhes que me sinto muito honrada em fazer parte ― em nome da agência internacional de notícias Pressenza ― desta celebração. Ratifico plenamente o que já foi exposto aqui a respeito da relevância histórica e cultural do estabelecimento das relações entre os nossos países há 50 anos e queria enfatizar a importância que é ter um olhar para o futuro, para os 50 anos que estão por vir.

Como agência que trabalha em nove idiomas, destacando as notícias de paz e não violência, estamos convencidos de que as comunicações têm um papel fundamental na aproximação dos povos, seu relacionamento mútuo e o desenvolvimento de relações de colaboração, cooperação e amizade.

A veracidade da informação divulgada, os contextos oferecidos, o relato que define os distintos pontos de vista e a intenção de favorecer o entendimento entre os povos, tudo isso resulta fundamental para que, efetivamente, seja alcançado o desenvolvimento de uma fraternidade, o sentimento de afinidade que nos faz sentir parte de uma mesma comunidade humana.

Mais especificamente, contribuir para mostrar as distintas culturas latino-americanas, ajudá-las a cruzar a imensidão do Pacífico ao construir essa convergência com a China, fazê-lo com um olhar internacionalista resulta, sem dúvida, em um aporte ao progresso no sentido de formar uma nação humana universal ou um destino de comunidades compartilhadas para o futuro da Humanidade.

Porque é conhecendo-se, estabelecendo confiança e reciprocidade que podemos enfrentar os problemas comuns que temos globalmente, dos quais não parece ser possível que ninguém saia sozinho.

São os meios de comunicação que nos têm ajudado a tomar consciência tanto da destruição ambiental como da ameaça nuclear. Graças às comunicações, temos conseguido nos sustentar na pandemia atual e aprender uns dos outros como se deve combatê-la. Porém, são também os meios que nos permitem debater e informar como superar a pobreza e a marginalidade, de que maneira enfrentar o problema do (des)emprego, como superar a discriminação, só para citar alguns dos temas que nos obrigam a procurar soluções conjuntas.

Por outro prisma, a ciência desenvolve os conhecimentos e os avanços tecnológicos abrem um leque enorme de possibilidades, ao mesmo tempo em que a inteligência artificial vai sendo aplicada nas mais diversas áreas, incluídas as comunicações. Os sonhos dos povos estão orientados na direção das sociedades humanistas nas quais a dor e o sofrimento podem ser superados.

Queremos apostar na esperança de que, daqui a 50 anos, seja possível dizer que levamos algum tempo para resolver os problemas globais, mas que fomos capazes de superá-los, graças ao esforço de todos.”


Traduzido do espanhol por Graça Pinheiro / Revisado por José Luiz Corrêa

Categorias: Ámérica do Sul, Asia, Cultura e Mídia, Internacional
Tags: , , , , , ,

Boletim diário

Digite seu endereço de e-mail para assinar o nosso serviço de notícias diárias.

Search

Whatsapp

Pressenza Whatsapp

Informe Pressenza

Informe Pressenza

Caderno de cultura

Caderno de cultura

O Princípio do fim das armas nucleares

Documentário 'RBUI, o nosso direito de viver'

Canale YouTube

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

Arquivo

xpornplease pornjk porncuze porn800 porn600 tube300 tube100 watchfreepornsex

Except where otherwise note, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International license.