Jornalistas internacionais publicam manifesto pela liberdade de Julian Assange

30.09.2020 - São Paulo, Brasil - Redação São Paulo

Jornalistas internacionais publicam manifesto pela liberdade de Julian Assange

Por Brasil de Fato

Grupo de profissionais ressalta que a acusação contra o australiano abre precedente para perseguição de jornalistas

Jornalistas de várias partes do mundo divulgaram nesta terça-feira (29) um manifesto em favor da libertação de Julian Assange, fundador do WikiLeaks, e também pela liberdade de imprensa.

O grupo se solidarizou com o jornalista australiano, preso em Londres sob acusação de espionagem e alvo de um julgamento sobre sua extradição para os Estados Unidos. O comunicado sinaliza que o processo contra ele abre precedente “extremamente perigoso para jornalistas, meios de comunicação e liberdade de imprensa”.

“Julian Assange, editor do Wikileaks, foi acusado de acordo com a Lei de Espionagem dos EUA por publicar os diários de guerra do Afeganistão e do Iraque e telegramas do Departamento de Estado, documentos importantes que muitos de nós usamos e ajudamos a publicar em todo o mundo”, pontuaram os autores.

“Não queremos ficar em silêncio neste momento”, enfatizaram os jornalistas. A declaração inclui uma citação do Relator Especial das Nações Unidas (ONU) sobre Tortura, Nils Melzer, que investigou o caso. “Estamos abrindo um precedente legal pela porta dos fundos de nossa própria complacência, que no futuro pode e será aplicado a divulgações publicadas pelo The Guardian, The New York Times e ABC News”, disse ele.

O grupo ressaltou que a liberdade de Assange significa, também, a manutenção da liberdade de expressão. “Acusar de espionagem quem publica material fornecido por vazamentos também é uma novidade que deve disparar o alarme de todos os jornalistas e veículos de comunicação”.

Os jornalistas convocaram todos os profissionais de mídia do mundo para que se juntem ao movimento em prol da libertação de Assange. Jornalistas que queiram reforçar o apelo podem assinar o manifesto no site do movimento.

“Como jornalistas e organizações de jornalistas que acreditam nos direitos humanos, na liberdade de informação e no direito do público de saber, exigimos a libertação imediata de Julian Assange”, clamaram.

Categorias: Ámérica do Sul, Cultura e Mídia, Direitos Humanos
Tags: , ,

Boletim diário

Digite seu endereço de e-mail para assinar o nosso serviço de notícias diárias.

Pesquisa

Informe Pressenza

Informe Pressenza

Caderno de cultura

Caderno de cultura

O Princípio do fim das armas nucleares

Documentário 'RBUI, o nosso direito de viver'

Canale YouTube

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

Arquivo

xpornplease pornjk porncuze porn800 porn600 tube300 tube100 watchfreepornsex

Except where otherwise note, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International license.

maltepe escort