Siloistas do mundo organizam celebração online pelos 51 anos de existência

11.05.2020 - Ovalle, Chile - Nicolás Filipic

This post is also available in: Espanhol

Siloistas do mundo organizam celebração online pelos 51 anos de existência
(Crédito da Imagem: redes sociales)

Que maravilhoso acharmos todos nós conectados! Sinto que o futuro foi aberto, continuamos a nos encontrar para nos fortalecer e poder sair para o meio com nossa voz; Eu reconheci pessoas que há muitos anos eu não via; Estou verdadeiramente chocado. Essas e outras expressões foram ouvidas na boca de vários siloistas que se reuniram neste fim de semana para comemorar virtualmente o 51º aniversário da aparição pública de Silo e a disseminação de sua mensagem.

Três salas cheias de Zoom foram o local onde centenas de pessoas de várias partes da Europa, América e Índia se reuniram para celebrar, meditar, trocar e compartilhar uma experiência em tempos de pandemia.

“Com vários amigos que tínhamos nos encontrado semanas atrás online, decidimos lançar a chamada aberta para 4 de maio”, diz Nacho Martínez, do Parque de Estudo e Reflexão de Toledo, em Madri, Espanha.

Em 4 de maio de 1969, na província de Mendoza, Argentina, Silo ofereceu sua primeira mensagem pública sob a forma de uma arenga chamada “A cura do sofrimento” e a fez no local onde a ditadura da época o permitia; cercados por soldados armados, eles se encontraram em Punta de Vacas, um local desolado a os pes do Aconcágua, cerca de 200 pessoas chegando de ônibus de Córdoba, Rosário, Jujuy, Buenos Aires e até Santiago do Chile.

Não foi até 2004, quando Silo propôs nomear a 4M como o “Dia do Testemunho” e desde aquele ano essa data foi comemorada com essa carga emocional.

Este 2020, o ano da quarentena, aparentemente complicou as coisas para realizar esses encontros cara a cara, mas claramente não era um impedimento para que os siloistas de todo o planeta se reencontrarem.

“Desde a primeira vez em que o conheci, Silo nos disse claramente que nossa proposta era  mundial, muito além de Mendoza, o objetivo é alcançar todo mundo”, diz Tito de Casas, amigo da adolescência de Silo e que compartilhou sua vida inteira com o fundador do Novo Humanismo.

“Em 1993, em uma reunião no México, dissemos oficialmente que estávamos começando a usar a Internet”, diz Tito brincando, “o Zoom foi muito útil para nós”.

Uma equipe técnica deu conta em poucos dias de gerenciar de maneira muito boa as diferentes salas por onde passavam centenas de pessoas.

Enquanto as reuniões virtuais se seguiam por tópico ou por grupos, muitos andavam praticamente de um lado para o outro, maravilhados com o nível de troca e conexão entre os participantes. “Desculpe, pensei que fosse outra reunião, mas fiquei impressionado com o que você está discutindo nesta sala”, disse um dos participantes, “que número de sala é aqui? desculpe-me, mas não estou muito familiarizado com isso ”, disse um outro e sempre tinha uma pessoa da equipe técnica dando apoio gentilmente para ele finalmente achar seu grupo.

Foram três dias em que o centro imaginário era a câmera de cada um dos participantes. Pedidos bem estar, cerimônias e outras meditações se sucederam em vários idiomas. A arenga de 1969 foi ouvida em uníssono nas 3 salas lotadas às 12 horas do dia 4 de maio (segundo o horário da Argentina) e, é claro, os indecisos que não sabiam onde ficar perante de tantas atividades ao mesmo tempo diziam “a verdade é que nas 3 salas tem assuntos muito interessantes acontecendo, não quero perder de nada”, disse uma italiana em perfeito espanhol, enquanto optava pelo seu destino.

Vários canais virtuais transmitiram o evento em suas plataformas, destacando-se o Inteligencia Acima da Mida (I.AM, um canal que surgiu há 2 anos e que já tem 80 mil contatos) que possibilitou que muitas outras pessoas que não conheciam essa proposta ou que não conseguiam ingressar no Zoom por diferentes razões assitiram a transmissão de lá.

Das propostas feitas especialmente para esta jornada duas chamaran a atenção dos participantes:

O video testemunho interno e musical feite por Florcita Motuda, artista e deputado chileno pelo Partido Humanista,

https://www.facebook.com/NovaNarrativa/videos/231654141431352/

O documentario Silo 4M, produção de Francisco Granella,  que descreve o contexto histórico e social durante o ano 1969 e as condições previas a arenga do Silo no 4 de Maio de aquele ano

https://www.facebook.com/NovaNarrativa/videos/861474647689632/

Como uma das cerimônias diz, isso tem sido bom e reconfortante, houve uma coincidência de que “graças à pandemia e ao confinamento” os siloistas descobriram um novo mundo no qual se conectar e irradiar sua mensagem.

Não imagine que você esteja sozinho, sugere Silo em seu breve escrito “O Caminho”, claramente ninguém relacionado a essa corrente de pensamento o está.

Todas as atividades podem ser vistas em

www.facebook.com/watch/NovaNarrativa/641862323031862

ou na web www.silo4m.net

Todos os escritos, videoconferências e eventos públicos de Silo realizados ao longo de sua vida estão disponíveis em portugués na web  www.silo.net

Categorias: Humanismo e Espiritualidade, Internacional, Opinião
Tags:

Boletim diário

Digite seu endereço de e-mail para assinar o nosso serviço de notícias diárias.

Pesquisa

Informe Pressenza

Informe Pressenza

Caderno de cultura

Caderno de cultura

O Princípio do fim das armas nucleares

Documentário 'RBUI, o nosso direito de viver'

Canale YouTube

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

Arquivo

Except where otherwise note, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International license.