Com ausência do Estado, movimentos sociais criam campanhas para ajudar favelas no RJ

04.04.2020 - Rio de Janeiro, Brasil - Redação Rio de Janeiro

Com ausência do Estado, movimentos sociais criam campanhas para ajudar favelas no RJ
(Crédito da Imagem: Mídia Ninja)

Por Mariana Pitasse/Brasil de Fato

Iniciativas arrecadam doações e distribuem material de higiene, produtos de limpeza e alimentos; saiba como doar

Enquanto as poucas medidas anunciadas pelos governo federal demoram a sair do papel, uma rede de solidariedade avança rapidamente para tentar minimizar os graves efeitos da pandemia do coronavírus aos mais pobres. Algumas dessas iniciativas partem de organizações, coletivos e associações de moradores das favelas e periferias, como já noticiado pelo Brasil de Fato. Outras são organizadas por movimentos sociais e instituições parcerias.

É o caso do Fundo de emergência para sem-tetos afetados pelo coronavírus, criado pelo Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST). A campanha é feita através de uma vaquinha virtual para reunir doações, que se transformam em cestas com alimentos e produtos de higiene. Na página online da campanha, a meta de R$ 400 mil está quase alcançada. De acordo como MTST, as doações estão sendo feitas em todo o Brasil.

No Rio de Janeiro, já foram distribuídas 200 cestas, nas periferias de São Gonçalo e Niterói, na região metropolitana. Segundo Fabiana Batista, da coordenação do MTST no estado, o perfil majoritário de quem tem recebido as doações é de mães solteiras, idosos, famílias em situação de vulnerabilidade e pessoas em situação de rua.

“Entre as famílias beneficiadas estão aquelas que são parte da luta do movimento, mas também mulheres trans em situação de vulnerabilidade, famílias que compõe o Fórum de Luta pela Moradia, em Niterói. Famílias que vão todos os domingos almoçar na cozinha comunitária que abrimos em São Gonçalo e mulheres mães que já participaram de rodas de gestantes que o MTST promoveu nas cidades”, explica.

Nós por nós

Outra campanha organizada por movimentos sociais é “Nós por Nós contra o coronavírus” que já foi tema de reportagem do Brasil de Fato. O objetivo é estimular os jovens a se colocarem como ponte para quem precisa de ajuda e, de forma segura, fazer a distribuição nas comunidades. Preferencialmente os seguintes itens podem ser doados: arroz, feijão, óleo, sal, açúcar, café, macarrão, produtos de higiene e limpeza, fubá, farinha de trigo e biscoito.

As primeiras doações arrecadadas estão sendo destinadas ao Cerro Corá, Manguinhos, Guararapes e Borel. A iniciativa é feita a partir de uma parceria do Levante Popular da Juventude, do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), do Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA), do Movimento dos Trabalhadores e Trabalhadoras por Direitos (MTD) e da Consulta Popular. Também somam forças a Agenda Jovem da Fiocruz, Museu da Maré, organizações de favelas e sindicatos.

Números nas favelas

A estimativa é que cerca de 2 milhões de pessoas vivam em favelas na capital do Rio de Janeiro. Especialistas temem que a maior parte delas seja infectada pelo coronavírus.

O último balanço oficial divulgado pela Secretaria do Estado de Saúde do Rio de Janeiro aponta aponta que seis favelas já apresentaram casos de pacientes testados positivos com coronavírus. Além de Cidade de Deus, Vidigal, Manguinhos e Parada de Lucas, também estão sendo monitorados pacientes na Mangueira e no Alemão, ambas na zona norte da cidade. Ao todo, autoridades de saúde contabilizam 832 contaminados no estado.

A realidade nas favelas não só no Rio, mas como em todo o país, muitas vezes inviabiliza as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS). Seja de higienização das mãos, em função da falta d’água, como de isolamento de pacientes diagnosticados com a covid-19, uma vez que, para muitas famílias, a convivência se dá em espaços com poucos cômodos.

Pesquisa recente do Instituto Data Favela aponta ainda que 7 em cada 10 famílias de comunidades no Brasil já tiveram a renda diminuída depois da pandemia da covid-19. O levantamento também mostra que um em cada três moradores de favela no Brasil terá dificuldade para comprar alimentos em função da quarentena.

Como doar?

  • Nós por nós contra o coronavírus (Levante Popular da Juventude)
    É possível ajudar para compras de materiais para doação por meio de depósito bancário em conta do Banco do Brasil (Agência: 2.972-6/Conta corrente: 38.834-3) em nome de Allanis Dimitria de O. e S. Pedrosa e também por Picpay do @levante.rj.
  • Fundo de emergência para sem-tetos afetados pelo coronavírus (MTST)
    É possível contribuir através da vaquinha online (aqui) ou através de depósito bancário em conta do Itaú (Agência: 8170/ Conta corrente: 30682-6) em nome de Associação Amigos da Luta dos Sem Teto/ CNPJ: 28.799.171/0001-41.
  • Mutirão solidário (Centro de Ações Comunitárias – Cedac)
    É possível doar alimentos e produtos de higiene e limpeza ou ajuda financeira em conta do Bradesco (Agência: 0814/ Conta corrente: 75027-1) em nome de Cedac/ CNPJ 30.479.869.0001-21.
  • Casa Nem e o Grupo “Transrevolução” (Movimento Social Transgênero)
    Campanha de doações de alimentos de cesta básica, produtos de limpeza e de higiene pessoal. Informações através do telefone: (21) 96829-0296.
  • Pandemia com Empatia (ONG Voz das Comunidades)
    Campanha arrecada dinheiro que pode ser depositado em conta da Caixa Econômica Federal (Agência 0198/ Conta corrente 3021-2) CNPJ 21.317.767/0001-19.
Categorias: Ámérica do Sul, Direitos Humanos, Política
Tags: , , , , , , ,

Boletim diário

Digite seu endereço de e-mail para assinar o nosso serviço de notícias diárias.

Search

Whatsapp

Pressenza Whatsapp

Informe Pressenza

Informe Pressenza

Caderno de cultura

Caderno de cultura

O Princípio do fim das armas nucleares

Documentário 'RBUI, o nosso direito de viver'

Canale YouTube

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

Arquivo

xpornplease pornjk porncuze porn800 porn600 tube300 tube100 watchfreepornsex

Except where otherwise note, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International license.