Escritório das Nações Unidas de Assistência Humanitária diz que 80 mil crianças estão nesse grupo; em apenas uma semana, mais de 7 mil sírios entraram no Iraque fugindo da violência causada pela ação militar da Turquia contra militantes curdos; 75% deste total são mulheres e crianças. Quase metade das 180 mil pessoas que estão fugindo dos combates no nordeste da Síria são crianças. A informação foi dada pelo Escritório da ONU de Assistência Humanitária, Ocha.

O Acnur está fornecendo ajuda e abrigo no Iraque a refugiados que fogem do nordeste da Síria. Foto: Acnur/Hossein Fatemi
Desde o início da operação militar da Turquia na Síria, 80 mil crianças tornaram-se deslocadas pela violência.

Água

A operação militar turca contra militantes curdos também prejudica a infraestrutura local. Várias estações de energia foram alvejadas e pelo menos quatro instalações médicas foram danificadas.

Um outro problema é o fornecimento de água. A estação de abastecimento de Alouk, que atendia a mais de 400 mil pessoas na cidade de Al-Hassakeh, estava sem funcionar há mais de 10 dias. Com reparos urgentes, o serviço foi restabelecido, mas para apenas metade dos moradores.

O conserto foi feito por uma equipe da organização do Crescente Vermelho e por funcionários do Diretório de Água e Eletricidade. A operação ocorreu após uma negociação da ONU com o Governo da Turquia, permitindo o acesso dos operários às áreas afetadas.

Ajuda Humanitária

O coordenador residente e humanitário das Nações Unidas na Síria, Imran Riza, contou que durante sua passagem pelas áreas afetadas, no nordeste da Síria, viu “famílias recém-deslocadas em abrigos coletivos, assim como nos campos de Areesha, principalmente mulheres e crianças”. Alguns estavam lá há anos e outros acabavam de chegar após a operação militar turca. Ele disse que o quadro é de uma carência impressionante.

Apesar dos desafios de segurança e acesso, a ajuda alimentar deve atingir 580 mil pessoas nas províncias de Raqqa e Hasakeh.

Os trabalhadores humanitários também tentam levar serviços essenciais, como saúde e água, e iniciar preparativos para o inverno que se aproxima.

Iraque

A Agência da ONU para Refugiados, Acnur, informou que desde 14 de outubro, mais de 7 mil refugiados entraram no Iraque. A maior parte foi para o acampamento de Bardarash, a 140 km a leste da fronteira entre o Iraque e a Síria.

Durante entrevista a jornalistas, em Genebra, o porta-voz do Acnur, Andrej Mahecic, disse que 75% dos que fogem da violência são mulheres e crianças.

Alguns refugiados, especialmente crianças, precisam de apoio psicossocial. Segundo Mahecic, algumas crianças testemunharam explosões e bombardeios e fugiram com medo da violência.

Antes das chegadas mais recentes, cerca de 228 mil refugiados sírios já estavam no Iraque, expulsos de suas casas por mais de oito anos de conflito e destruição na Síria.

O artigo original pode ser visto aquí