Em meio ao acirramento dos confrontos, autoridades afrouxam regras para atuação das forças de segurança e planejam banir máscaras nos protestos, o que poderia expor os manifestantes pró-democracia.

As autoridades de Hong Kong planejam, com duas medidas, elevar a pressão sobre os manifestantes pró-democracia que há quase quatro meses vão às ruas da região semiautônoma governada pela China.

Segundo agências de notícias, o governo afrouxou diretrizes sobre o uso da força pela polícia e pode banir máscaras – um dos símbolos dos protestos e um dos recursos dos manifestantes para se manterem anônimos – com base em uma lei de emergência da era colonial que não era usada há meio século.

O afrouxamento das restrições ao uso da força entrou em vigor pouco antes dos confrontos na terça-feira (01/10), os mais violentos desde o início dos protestos e que acabaram ofuscando as celebrações na China marcando o aniversário de 70 anos do regime do Partido Comunista.

Leia artigo completo

O artigo original pode ser visto aquí