Em SP, uma rede contra o extermínio nas periferias

10.10.2019 - São Paulo, Brasil - Outras Palavras

Em SP, uma rede contra o extermínio nas periferias
Ato "Em Favor da Vida" - Complexo da Maré | 23/02/2015 Rio de Janeiro RJ (Crédito da Imagem: Mídia NINJA)

No Jardim Ângela, diversas entidades e coletivos lançam, em 12/10, a Campanha Vida Viva. Por meio de atos em todo o Brasil, visam conectar a luta das quebradas e exigem outra política de segurança pública e o fim do genocídio da juventude negra

Lançamento da Campanha Vida Viva
12 de outubro, às 10h, na Paróquia Santos Mártires, no Jardim Ângela. R. Luís Baldinato, 9 – altura do nº 4.100 da Estrada M´Boi Mirim
Aberta ao público. Mais informações: (11) 98361-9928

Em 1996, o Jardim Ângela, localizado na zona sul de São Paulo, foi apontado em um estudo da ONU como o bairro mais violento do mundo. No ano seguinte, a paróquia Santos Mártires e o Centro de Direitos Humanos e Educação Popular de Campo Limpo começaram a mobilizar a população local – a maior parte formada por famílias de migrantes das zonas rurais do Norte e Nordeste – para uma caminhada em defesa da vida, realizada no dia de Finados.

Mães e familiares que perderam seus filhos de forma violenta marcharam pelo bairro. No decorrer do ano, criaram o Fórum em Defesa da Vida, onde discutiam políticas públicas em defesa da vida. Nesse processo de luta, o Jardim Ângela conseguiu levar para o bairro um hospital, um Centro de Atenção Psicossocial, melhorando as políticas de educação, saúde, assistência social e policiamento comunitário.

A caminhada pela vida e as lutas do bairro se tornaram um marco histórico entre os movimentos da sociedade civil em São Paulo. A capital paulista e o Jardim Ângela diminuíram as taxas de violência em mais de 70%.

No dia 2 de novembro, junto com a Paróquia Santos Mártires e com o Fórum em Defesa da Vida, diversos grupos da sociedade civil vão se unir com as lutas que ocorrem em outras periferias brasileiras e promover atos em todo o Brasil.

O objetivo é ampliar a pressão por políticas que promovam a vida e barrar a iniciativa das autoridades que enxergam a morte como solução, por meio de discursos de apologia ao extermínio, de projetos que flexibilizam o porte de armas e da impunidade à violência policial.

Caminhadas, saraus, slams, grafites, teatro, esportes, entre outras atividades, serão realizadas e fotografadas, filmadas e compartilhadas nas redes. Como continuação ao ato, o movimento vai criar uma rede de coletivos para discutir políticas públicas em defesa da vida que deram certo em diversas periferias brasileiras e para debater formas de pressionar o poder público para implementá-las em outras localidades.

No próximo sábado, dia 12 de outubro, vamos unir nossas forças para lançar essa grande campanha em defesa da vida!

Categorias: Ámérica do Sul, Direitos Humanos, Jovens
Tags: , , , , ,

Boletim diário

Digite seu endereço de e-mail para assinar o nosso serviço de notícias diárias.

O Princípio do fim das armas nucleares

2a Marcha Mundial da Paz e da Não-violência

Documentário 'RBUI, o nosso direito de viver'

Milagro Sala

Canale youtube

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

Arquivo

Except where otherwise note, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International license.