MPF pede ação do governador do Rio contra intolerância religiosa

24.05.2019 - Rio de Janeiro, Brasil - Agencia Brasil

MPF pede ação do governador do Rio contra intolerância religiosa
(Crédito da Imagem: Mídia NINJA)

Por Isabela Vieira

O Ministério Público Federal (MPF) enviou ofício ao governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, cobrando atuação das polícias Civil e Militar contra os ataques a terreiros de religiões de matriz africana, na Baixada Fluminense. O MPF recebeu a denúncia sobre o fechamento de pelo menos 15 casas a mando do tráfico de drogas, no município de Duque de Caxias, na última semana.

O ofício foi enviado ontem (24) ao Palácio Guanabara, e nele, o MPF também pede uma reunião com o governador.

O MPF recebeu a denúncia de que um grupo de criminosos, chefiados por um pastor, circulou pelos terreiros proibindo as festas e atividades. “Nenhuma casa foi destruída e os criminosos não machucaram ninguém. Porém, os criminosos foram taxativos ao proibir atividades dos barracões”, relatou o procurador da República Julio José Araujo, responsável pelo caso e autor do ofício.

O MPF tem um inquérito aberto para investigar a intolerância religiosa na Baixada Fluminense e vem fazendo reuniões com o Poder Público, religiosos e adeptos de religiões de matriz africana, desde janeiro deste ano. O representante do estado é a Secretaria Estadual de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos.

O governo do estado informou que ainda não recebeu o ofício do MPF, mas que o governador acompanha o tema por meio da Secretaria de Direitos Humanos. Durante a semana, Witzel chegou a se reunir com o Conselho Estadual de Promoção da Liberdade Religiosa, formado pela sociedade civil. Ele foi informado sobre o aumento de casos de intolerância religiosa no estado.

Medo

O interlocutor da Comissão de Combate à Intolerância Religiosa (CCIR), o babalawó Ivanir dos Santos, disse que os religiosos que tiveram barracões fechados a força, em Caxias, estão amedrontados e não registraram queixas nas delegacias por medo.

“Esse tema é emergencial. Os atos [de intolerância] têm se repetido na baixada toda e estão chegando em Niterói, em São Gonçalo, em Campos [dos Goytacazes, no norte fluminense].”, alertou.

A intolerância religiosa é considerada crime de ódio e a pena prevista é de um a três anos de prisão mais multa. O governo federal recebe denúncias pelo serviço Disque 100. A ligação é gratuita.

Categorias: Ámérica do Sul, Diversidade, Humanismo e Espiritualidade
Tags: , , ,

Boletim diário

Digite seu endereço de e-mail para assinar o nosso serviço de notícias diárias.

Pesquisa

Dia da Não Violência

Dia da Não Violência

Informe Pressenza

Informe Pressenza

Caderno de cultura

Caderno de cultura

O Princípio do fim das armas nucleares

Documentário 'RBUI, o nosso direito de viver'

Canale YouTube

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

Arquivo

xpornplease pornjk porncuze porn800 porn600 tube300 tube100 watchfreepornsex

Except where otherwise note, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International license.