O MAIS IMPORTANTE: O FUTURO. SILO (Bombay) – O que diz a Psicologia Ocidental e o que nós adicionamos

26.02.2019 - Redação São Paulo

O MAIS IMPORTANTE: O FUTURO.  SILO (Bombay) – O que diz a Psicologia Ocidental e o que nós adicionamos

No Ocidente, a Psicologia, descobriu que o ser humano pode ter sofrimento por coisas que lhe aconteceram anteriormente, ali existe a crença que o sofrimento atual do ser humano está determinado somente por traumas, por acidentes anteriores. A Psicologia ocidental nasceu recentemente, um ser humano pode ter uma vida boa, muito agradável, e se encontrar em uma situação tão sem futuro, essa consciência entra em conflito, se encerramos o futuro de um ser humano, essa consciência sofre. Como podemos resolver essa psicologia, este conflito, com relação ao futuro?

Nós acreditamos que o futuro pesa tanto quanto os traumas do passado. Se fecharem o futuro de uma pessoa, se fecharem o futuro de um povo, certamente aumentará o conflito.

É importante para nós, compreender não só os traumas passados, mas também compreender a imagem do futuro que uma pessoa tem. Que expectativas tenho? O que quero alcançar? O que quero conseguir e sei que não vou poder alcançar? O que tenho e creio que vou perder no futuro? O que é que eu não tenho e o que eu queria ter no futuro?

Nós não estamos em dialética com essa psicologia ocidental, não nos opomos a essa psicologia ocidental, porém nós compreendemos que a estrutura da consciência é muito maior, tem muitas mais possibilidades, e não pode ser explicada exclusivamente pelo o que ocorreu anteriormente.

Nós falamos que a consciência é uma estrutura e que não pode ser explicada por partes, no ocidente se utilizou até pouco tempo atrás, a lei de causa e efeito, uma coisa produz outra, entra uma terceira e assim seguindo. No entanto sabemos que muitas coisas, que não estão presentes neste momento, podem estar atuando, no caso da consciência, o futuro está atuando, se fechamos o futuro, criamos um conflito na consciência.

Não se trata de causa e efeito, se trata de um ponto de vista diferente, estrutural, global, esse é nosso ponto, isso é o que nós explicamos, não existe uma via do sofrimento, existem três vias do sofrimento, e deste modo, se sofre pelo que acredita-se que aconteceu, pelo que acredita-se que acontece e pelo que acredita-se que acontecerá. Dizemos acredita-se, pois não importa que estas coisas tenham acontecido ou não tenham ocorrido, existem pessoas que imaginam que suas vidas foram de um modo ou de outro. Talvez as coisas aconteceram de forma muito diferente, porém basta que ele acredite que aconteceram deste modo para que experimente sofrimento ou prazer, cada um pode acreditar que as coisas vão acontecer de um jeito, e as coisas acontecerão de outro jeito, mas basta que uma pessoa acredite, com o respeito aos acontecimentos da sua própria consciência.

Categorias: Humanismo e Espiritualidade, Opinião
Tags: , , , ,

Boletim diário

Indique o seu e-mail para subscrever o nosso serviço diário de notícias.


2a Marcha Mundial da Paz e da Não-violência

Milagro Sala

Canale youtube

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

Arquivo

Except where otherwise note, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International license.