COP 24: Evento acontece na Polônia e discute metas de controle em mudanças climáticas

15.12.2018 - São Paulo, Brasil - Redação São Paulo

COP 24: Evento acontece na Polônia e discute metas de controle em mudanças climáticas
(Crédito da Imagem: MCK)

Por Luciana Console / Brasil de Fato

Governo Bolsonaro indica retrocessos no setor ambiental; Brasil retirou candidatura para sediar COP 2019

Desde o dia 2 de dezembro, representantes de 195 países se reúnem na Polônia para a COP 24º (Conferência das Partes), que acontece por conta da Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas. O encontro termina nesta sexta-feira (14) e acontece anualmente em diferentes países com o objetivo de debater pautas as implementações do Acordo de Paris. Em 2019, o Brasil estava cotado para sediar o evento, mas o governo comunicou oficialmente a retirada da candidatura, alegando questões orçamentárias. A atitude, porém, vai na contramão mundial de desenvolvimento sustentável.

A ecologista Maureen Santos, que está presente na Conferência, afirma que “a notícia que o Brasil desistiu sua candidatura para sediar a COP 25º teve muita repercussão semana passada e continua tendo nos últimos dias”, ressalta. “Em debates esse tema é falado com preocupação, no sentido de qual o simbolismo dessa decisão brasileira, o que representa em relação ao futuro da participação do Brasil no Acordo de Paris”, explica.

O Acordo de Paris tem como principal objetivo formular metas de redução das emissões de gases de efeito estufa, com compromisso de manter o aumento da temperatura média global abaixo de 2°C. Cada país estipula as próprias regras e o modo como pretende atingir os objetivos do Acordo. O Brasil, por exemplo, se comprometeu a aumentar a participação de bioenergia sustentável na sua matriz energética para aproximadamente 18% até 2030, além de restaurar e reflorestar 12 milhões de hectares de florestas.

Neste sentido, Maureen, que também é pesquisadora da Plataforma Socioambiental do Brics Policy Center, relata que a indicação do presidente eleito Jair Bolsonaro do advogado Ricardo de Aquino Salles para novo ministro do meio ambiente tem preocupado membros da sociedade civil latino americana no COP. O principal ponto de angústia é a postura brasileira nos próximos anos perante questões ambientais. Apoiador dos ruralistas, Salles é investigado por fraude ambiental e já fez declarações violentas contra o MST.

Além disso, o governo de Bolsonaro indica atitudes que prejudicam a maior biodiversidade do planeta, a Amazônia. A floresta, que ocupa grande parte do território brasileiro, é responsável por ajudar a manter o equilíbrio climático global. No ano de 2018, a Amazônia teve um aumento de 13,7% no desmatamento em relação ao ano anterior, segundo dados divulgados pelo Ministério do Meio Ambiente.

Para Maureen, a Amazônia tem relevância na COP, ainda que as questões suscitadas não tratem apenas da questão brasileira.“É uma floresta que é compartilhada pelo Brasil com mais 9 países. Obviamente, o Brasil detém a maior parte das terras, dispostas em áreas indígenas e de população tradicional. A negociação não fala só da amazônia, mas de uma negociação global, que envolve o Brasil. Houve uma repercussão negativa da desistência do Brasil na COP e o tema acaba aparecendo na mídia e também nas falas públicas de pessoas da sociedade civil ou do setor privado, no sentido de preocupação com o aumento do desmatamento na Amazônia”, analisa.

Apesar de o futuro da política brasileira demonstrar que o país caminha para uma contramão nas questões de respeito ao meio ambiente, a ecologista ressalta que, do ponto de vista das negociações no evento, a delegação brasileira se mantém ativa e trabalhando para fechar os acordos.

Categorias: Ecologia e Meio Ambiente, Internacional
Tags: , ,

Boletim diário

Indique o seu e-mail para subscrever o nosso serviço diário de notícias.


Milagro Sala

Canale youtube

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

Arquivo

Except where otherwise note, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International license.