Colômbia: ELN pede ajuda ao Legislativo para retomar negociações de paz com governo

07.10.2018 - São Paulo, Brasil - Opera Mundi

Colômbia: ELN pede ajuda ao Legislativo para retomar negociações de paz com governo
(Crédito da Imagem: bixentro)

Por meio de documento público, guerrilha pede que legisladores facilitem retomada de diálogos para restaurar “bilateralidade”; piora na relação entre as partes coincide com início de governo Duque, que prometeu endurecer negociações.

O Exército de Libertação Nacional (ELN) emitiu nesta quinta-feira (04/10) uma carta ao Senado colombiano em que pede aos legisladores apoio para uma reunião com o governo do país. A guerrilha tenta retomar os diálogos de paz há cerca de um mês.

O documento foi assinado pelo chefe da Delegação de Diálogos, Pablo Beltrán, que citou a intenção do grupo de “seguir avançando” com as negociações de cessar-fogo.

“Solicitamos seus bons ofícios para poder seguir avançando em alcançar o término do conflito armado e acordar transformações para uma Colômbia em paz e igualdade”, disse.

O último encontro entre aconteceu dois meses atrás, coincidindo com o início da gestão do presidente Iván Duque, que assumiu no dia 7 de agosto. Logo em seus primeiros atos como chefe de governo, Duque impôs exigências ao ELN, com abordagens mais duras em relação às da antiga gestão de Juan Manuel Santos.

Segundo o texto, as demandas recentes feitas pelos governistas são “unilaterais” e não contribuem para o andamento dos acordos.

“O governo está colocando exigências unilaterais, que rompem com a bilateralidade de um processo de negociação, desconhecendo acordos prévios. Se Duque considera que são necessários ajustes aos compromissos já existentes, estes devem ser examinados e acordados pelas duas partes na mesa”.

Série de desacordos

O documento divulgado pela no início de outubro dá sequência aos atritos entre governo e guerrilha, já que, no último dia 24 de setembro, o ELN criticou Duque por não nomear uma equipe encarregada de dialogar pela paz.

Em texto divulgado no portal ELN Voces, o grupo afirmou que o atual governo faz “múltiplas declarações contra o processo em curso” e que a falta de interesse por resoluções o “invalida como interlocutor”.

“O ELN é uma força insurgente e não está obrigado a cumprir a legalidade do Estado colombiano até que haja um acordo de superação definitiva do conflito, onde as partes se sintam satisfeitas”, diz o comunicado.

Categorias: Ámérica do Sul, Paz e Desarmamento, Política
Tags: , , , , ,

Boletim diário

Indique o seu e-mail para subscrever o nosso serviço diário de notícias.


Milagro Sala

Canale youtube

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

Arquivo

Except where otherwise note, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International license.