As armas nucleares são aterrorizantes, mas o que posso eu fazer?

24.08.2018 - Amsterdã, Holanda - PAX

This post is also available in: Inglês, Espanhol, Francês, Italiano, Alemão, Catalão, Grego

As armas nucleares são aterrorizantes, mas o que posso eu fazer?

As armas nucleares são, na verdade, a pior arma alguma vez criada. Estão desenhadas para dizimar cidades. A Cruz Vermelha e a ONU disseram que, se usadas numa área populosa, não há ajuda possível [1], não há nada que possa ser feito para mitigar o dano. A única coisa que podemos fazer para nos mantermos seguros é garantir que nunca sejam usadas. E a única maneira de garantir que nunca sejam usadas, é livrar-nos delas. Todas elas.

Neste momento, todos os países que possuem armas nucleares estão em processo de modernizá-las [2]. Para fazer estas atualizações, muitos países usam empresas privadas. Empresas como a Lockheed Martin, a Northrop Grumman ou a BAE Systems fabricam componentes-chave para as armas nucleares. Faz parte do complexo industrial militar que Dwight D. Eisenhower alertou ao mundo nos anos 50.

As empresas querem ganhar dinheiro. Também os bancos e os fundos de pensão. A diferença é que os bancos usam o dinheiro dos seus clientes para fazer investimentos, para obter benefícios. Esse é o teu dinheiro. É aí que onde tens poder.

Os bancos não querem perder clientes, por isso não querem dar uma má imagem . Quando fazemos barulho sobre os seus investimentos no Armagedom, os seus investigmentos no dia do julgamento final, os bancos começam a parecer muito maus.

Em alguns países, as armas nucleares são completamente ilegais, mas não em todos. Alguns bancos, como o BNP Paribas, usarão isto como desculpa, dirão que os seus investimentos como produtores de armas nucleares está correcto. Mas não está. Há uma linha moral e ética sobre o que é aceitável e o que não é. As armas nucleares são inaceitáveis e é hora dos bancos se juntarem a nós. Como pode o BNP Paribas dizer que é hora de se livrar do tabaco [3] e do fracking [4], mas não das armas nucleares?

No dia 26 de setembro, a ICAN, em colaboração com parceiros de todo o mundo, pedirá um dia de ação global voltado para o BNP Paribas. Queremos que vás às ruas, aos mídias, que actues, para tirar o BNP Paribas do ramo de armas nucleares.

Há muitas maneiras de participar, veja bnp-divest.org para mais informações.

E a 26 de setembro, usaremos nosso poder para pôr fim às piores armas já criadas.

————————————————————————————————————————————————————-

[1] Intervenção da Cruz Vermelha na Conferência sobre as Consequências Humanitárias das Armas Nucleares, Oslo.  https://www.regjeringen.no/globalassets/upload/ud/vedlegg/hum/hum_malich.pdf

[2] Declaração da Liga Internacional de Mulheres pela Paz e Liberdade no PrepCom do NPT 2017, Viena, Áustria http://www.reachingcriticalwill.org/images/documents/Disarmament-fora/npt/prepcom17/statements/3May_WILPF.pdf

[3] http://www.investmenteurope.net/regions/france/bnp-paribas-sets-roadmap-tobacco-divestment/

[4] https://www.bloomberg.com/news/articles/2017-10-11/bnp-paribas-to-halt-shale-oil-financing-in-climate-change-pledge

Categorias: Internacional, Nota de imprensa, Paz e Desarmamento
Tags: , , , , , , ,

Boletim diário

Indique o seu e-mail para subscrever o nosso serviço diário de notícias.


Milagro Sala

Canale youtube

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

Arquivo

Except where otherwise note, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International license.