Mandado de Prisão de Lula é mais um Golpe na Democracia Brasileira

07.04.2018 - Redação São Paulo

Mandado de Prisão de Lula é mais um Golpe na Democracia Brasileira

Um dia antes do julgamento do pedido de habeas corpus de Lula, chefe do exército manda recado para a Suprema Corte Brasileira insinuando uma intervenção. O twitter do general foi lido em rede nacional.

A sucessão de golpes políticos que o povo brasileiro vem enfrentando desde 2016, a partir, especialmente, do processo de abertura do impeachment da presidenta Dilma atingiu seu ponto máximo no dia  5 de abril de 2018, com a ordem prisão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva expedida pelo juiz Sérgio Moro.

Foi uma vitória acachapante da direita, dos golpistas, contra um ex-presidente legítimamente eleito, que esconde a gritante derrota que iriam sofrer nestas próximas eleições presidenciais, onde Lula lidera em todos os cenários, chegando a 37% das intenções de voto.

Contra fatos e números não há argumentos. Por mais que esteja recheado de contradições como os acordos com PMDB, a repressão durante a copa do mundo e a aprovação da lei anti-terrorista. É de conhecimento público que os 14 anos de governo Lula e Dilma fizeram mais para o povo do que todos os seus antecessores da nova república. Isso para não mencionar o governo militar de de 1964 a 1985 de milagres econômicos e obras faraônicas superfaturadas, que assassinava jornalistas que ousassem denunciar a corrupção do regime.

Ao determinar a prisão de Lula, o golpe branco, de várias fases, que se iniciou com o impeachment de Dilma, atinge seu ponto máximo. O objetivo principal, nesse golpe de múltiplas fases, é tirar da disputa, o principal candidato e favorito para as eleições presidenciais de 2018.

O deleite da direita, nesse golpe de várias fases, é acompanhar a letargia da esquerda que, com discursos p(r)o(f)éticos, cheios de teoria e manifestações óbvias nas redes sociais, não chegam a lugar nenhum. A elite, a direita, estão cada vez mais unidos enquanto que a esquerda multiplica discussões de pouca ação prática.

O que estamos acompanhando é um espetáculo sensacionalista da média-mídia num lastimável jogo de futebol às avessas com explosões brutais de rojões golpistas para derrota do povo, do país.

A esquerda precisa entender e compreender que não se faz acordo com golpistas e o grande capital. Também precisa sair da defensiva e adotar uma agenda pró-ativa com novas pautas como a democratização das concessões de rádio e tv, mecanismos de democracia real e direta para consultar a população de forma vinculante durante os mandatos, eleição para juízes e procuradores, direitos humanos nas periferias e no campo, melhorar a distribuição de renda, revogar todas as medidas do Temer, entre outras.

É preciso ir a campo, virar o placar e impedir o jogo sujo dos golpistas. Bertolt Brecht: “Desses tempos em que falar de árvores é quase um crime, pois implica em silenciar sobre tantos erros – aos que virão depois de mim.”

Não se trata de ser petista, mas de proteger a própria justiça brasileira. A ameaça ao STF em plena rede nacional, com o desfecho que teve – a interferência na decisão da corte, é mais um golpe na frágil democracia brasileira. Cabe a todos os comprometidos com o estado de direito,  pessoas do campo progressista, dizer não à prisão de Lula e organizar atos públicos e massivos de desobediência a estas decisões irregulares e injustas. A ação direta não-violenta é um caminho para isso.

Hoje (06/04) o ato ocorrido no sindicato dos metalúrgicos em São Bernardo do campo foi um exemplo. Se fizeram presente diversos movimentos sociais. Movimento negro. Movimento das mulheres, o movimento LGBT. Os movimentos sociais resistiram e mostraram que podem até prender o Lula, mas a luta por uma igualdade em seus diversos sentidos, raciais, econômicos, de gênero e etc, continuará em marcha.

texto por Ângelo Luís e Vinícius Chamlet

 

Categorias: Ámérica do Sul, Política
Tags: ,

Boletim diário

Indique o seu e-mail para subscrever o nosso serviço diário de notícias.


Milagro Sala

Canale youtube

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

Arquivo

Except where otherwise note, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International license.