Lições da Coreia do Norte: Desarmamento nuclear mundial e total

29.09.2017 - Dario Ergas

Lições da Coreia do Norte: Desarmamento nuclear mundial e total
(Crédito da Imagem: Rafael Edwards)

É difícil imaginar que um ato terrorista possa acontecer enquanto alguém querido, ou eu mesmo esteja a circular ao longo de uma avenida movimentada ou a visitar um local religioso ou turístico. É difícil imaginar o assassinato de seres humanos intencionalmente. É difícil imaginar que uma bomba nuclear possa cair numa cidade e matar centenas de milhares de pessoas e que a radioatividade continuará a matá-las nos próximos anos e que as futuras gerações sofrerão as consequências da radiação. É difícil de imaginar, que isso aconteça. Aconteceu uma vez, e acreditamos que foi um sonho ou que não acontecerá de novo. Afastamos esses pensamentos porque eles nos magoam e os colocamos no campo da novela fantástica.

No entanto, as ameaças da Coreia do Norte para liberar o monstro nuclear são notícias diárias. As ameaças dos Estados Unidos também. O fracasso da política nuclear restritiva em 5 poderes, os Estados Unidos, a Rússia, a China, a França e a Inglaterra já falhou. São agora poderes nucleares Índia, Paquistão, Israel, Coreia do Norte e o Irão a qualquer momento. Não existe nenhuma lógica que possa justificar que alguns poucos países tenham bombas nucleares e outros não. Por muito que ridiculizemos os líderes norte-coreanos, eles põem em perigo a paz mundial tanto quanto os outros países mencionados. Isto tem que terminar e há um só caminho: O desarmamento nuclear mundial e total. Isto parece ingênuo, e é até que não se tome consciência de que somos uma humanidade e há limites na capacidade de destruição que não podemos transgredir. “Desarmamento nuclear mundial e total” é um aforismo que podemos subscrever e transmitir ao nosso meio imediato, nas nossas escolas e nos nossos parlamentos. Que se torne senso comum. O desarmamento nuclear mundial e total, é uma reflexão para cada individuo decidir se merece ser abraçada como uma causa digna.

Não há outro caminho para a humanidade, já há algum tempo que se violou a restrição do comité de segurança das Nações Unidas. Em breve aparecerão outros países a pensar que eles também têm direitos nucleares.

Não é tão interessante a análise sociopolítica da psicologia paranóica de Trump ou Kim. O problema de fundo não é o teste nuclear norte-coreano, mas as próprias armas nucleares. Não é o direito que tem ou não um país; a questão é que as armas nucleares devem ser banidas para todos. Ter uma bomba como dissuasão para que o outro não lance, foi um argumento sustentável em outro nível tecnológico; não o é mais. Agora precisamos de uma consciência antinuclear para que trave qualquer aventura deste tipo. O desarmamento nuclear mundial e total é o projeto que deve unir a toda humanidade.

2 de outubro, dia da não violência, aniversário de Gandhi, aniversário da primeira marcha mundial pela Paz e a Não-Violência, é um bom dia para aumentar a consciencialização.

Quero começar por um pedido interior e convidar a outros a fazê-lo comigo:

Inspiro e levo o ar ao meu coração, peço com força pelo desarmamento nuclear mundial e total. Peço que as pessoas de todas as raças, de todas as idades, de todos as crenças e culturas, de todos os tipos, se juntem para um desarmamento nuclear mundial e total. Que a paz ocupe o meu coração e a violência retroceda na minha vida. Peço para sentir a presença daqueles que morrem por causa das guerras, e dos que fogem em busca de refúgio e solidariedade. Para concluir este pedido, imagino no futuro os seres humanos de todos os povos e nações, livres e unidos, construindo um novo mundo.

Escrito por: Dario Ergas, Parques de Estudo e Reflexão Punta de Vacas, Primavera 2017

Tradução: Djamila Andrade

Categorias: Ecologia e Meio Ambiente, Paz e Desarmamento
Tags: ,

Boletim diário

Indique o seu e-mail para subscrever o nosso serviço diário de notícias.


Milagro Sala

Canale youtube

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

Arquivo

Except where otherwise note, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International license.