1 de outubro em Berlim, vamos encarar o desafio da paz!

22.09.2016 - Reto Thumiger

This post is also available in: Inglês, Espanhol, Francês, Italiano, Alemão, Grego

1 de outubro em Berlim, vamos encarar o desafio da paz!

Inicialmente, vamos lançar nosso olhar para o presente véu de lágrimas, e então, erguê-lo, para revelar um futuro melhor e mais viável.

A aliança de defesa transatlântica tem dado demonstrações de seu poder. Rússia e China, por exemplo, sentem-se ameaçadas e tentam manter sua influência local a qualquer custo. Os Estados Unidos começaram a modernizar suas armas nucleares, com custos estimados em aproximadamente um trilhão de dólares. As  armas nucleares instaladas na Alemanha também estão sendo atingidas por essa modernização. A Guerra Fria está novamente na boca das pessoas e um pronto “aquecimento global” parece estar a caminho. Os Estados Unidos pressionam os países membros da OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte) a aumentar suas despesas militares para 2% do PIB. Os gastos mundiais com armamento atualmente são de 1,7 trilhões de dólares. “O mundo está armado e a paz, subfinanciada”, expressou o secretário geral da ONU (Organização das Nações Unidas), Ban Ki-Moon.

 

A paz não acontecerá facilmente

Isso ainda não é tudo. O desastre no Oriente Médio é uma tragédia sem fim e tem provocado o deslocamento de refugiados, pessoas atravessando o Mar Mediterrâneo, o fanatismo religioso e condições propícias para ações de grupos terroristas. A Turquia, membro da OTAN, tem carta branca para agir e o governo megalomaníaco de Erdogan está apenas começando. O excesso de violência é destaque nos noticiários. Seja um tumulto, um ataque terrorista individual ou realizado por grupos como o Estado Islâmico, não importa. Resta acrescentar que o movimento pela paz está enfraquecendo mundialmente e somente poderá  ser concebido a partir de mobilizações internacionais, como as que ocorreram em 2003 contra a guerra do Iraque.

A paz, como tudo no mundo, não vem facilmente e não significa apenas a ausência de conflitos militares. A paz é a superação do aumento da violência em suas várias formas de expressão, seja violência física, violência econômica, opressão, discriminação, fanatismo etc.
 

Não há paz sem reconciliação

O lema “Por uma atmosfera de paz”, escolhido para o Congresso Mundial  entre os dias 30/09 e 02/10, em Berlim, organizado pela  Agência Internacional da Paz, não foi escolhido ao acaso. Defender a paz significa combater a contaminação da violência na sociedade e no ambiente doméstico, lutar e criar uma atmosfera de tolerância e não-violência, espalhar esperança, aproximar as pessoas, comunicar-se abertamente, enfrentar o preconceito e resolver conflitos sem violência. Somente então fará sentido irmos às ruas para barrar as políticas guiadas pelos interesses econômicos do complexo militar-industrial, que estimula a espiral da violência, levando a humanidade ao desastre global.
Vamos enfrentar o desafio da paz. Berlim parece ser o local ideal e o congresso da paz, que acontecerá na véspera do Dia Internacional da Não-Violência (aniversário de Mahatma Gandhi), dia 1 de outubro, a ocasião perfeita para chamarmos a atenção do mundo para um gesto humano de paz. Isso será uma sinalização da humanidade por paz e não-violência, um ato de reconciliação peculiar. Não há paz sem reconciliação!

 

A procura por paz começa em nossos corações e deve ser levada para o mundo e para as ruas. E então, teremos esperança.

 

Traduzido do inglês por Karina Rebouças

 

Categorias: Humanismo e Espiritualidade, Internacional, Não violência, Opinião, Paz e Desarmamento
Tags: , , , , ,

Boletim diário

Digite seu endereço de e-mail para assinar o nosso serviço de notícias diárias.

O Princípio do fim das armas nucleares

2a Marcha Mundial da Paz e da Não-violência

Documentário 'RBUI, o nosso direito de viver'

Milagro Sala

Canale youtube

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

Arquivo

Except where otherwise note, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International license.