São Paulo: Estudantes reunidos pela internet prometem novos atos contra impeachment

24.04.2016 - Redação São Paulo

São Paulo: Estudantes reunidos pela internet prometem novos atos contra impeachment

por Elaine Patricia Cruz, da Agência Brasil publicado 24/04/2016

Centenas de estudantes reuniram-se ontem (23), no Vale do Anhangabaú, no centro de São Paulo, para protestar contra o processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff. O número de manifestantes não foi informado pela Polícia Militar.

O ato foi convocado pela internet. Um dos organizadores é Rafael Reiter, que disse não pertencer a nenhum partido ou movimento social. “Participo de um grupo de universitários, apartidário, nada registrado, onde temos um projeto chamado Plantando Arte. Temos o intuito de fazer conscientização. Nós nos reunimos e montamos o evento e começamos a chamar todo mundo”, disse ele à Agência Brasil.

De acordo com Reiter, a intenção dos manifestantes era permanecer no Vale do Anhangabaú, sem fazer caminhada. Ele disse que o ato não terminava ontem e que outras manifestações devem ser marcadas nos próximos dias, principalmente no dia da votação do processo da admissibilidade do processo no Senado.

Os estudantes dançam e cantam “Não vou deixar o golpe acontecer de novo, não” e “Não vai ter golpe”. Muitos deles desenharam faixas pretas no rosto, que, segundo Reiter, simbolizam o “luto pela atual situação do país”. Um deles fantasiou-se de Dilma Rousseff, carregando a faixa presidencial. “Eu vou apoiar a Dilma. Calma, calma, burguesia”, cantavam eles, em ritmo de marchinhas. Em um momento do ato, eles deram as mãos, em um círculo, para cantar músicas de apoio à presidenta.

Criticaram também o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), a quem chamaram de “ladrão” e “ditador”. “Fora Cunha”, gritaram os estudantes. Também houve críticas ao vice-presidente Michel Temer e ao deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ), por sua postura na votação da admissibilidade do processo de impeachment, domingo passado (17) na Câmara. Ao votar, o deputado homenageou o coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra, ex-chefe do Destacamento de Operações de Informações do Centro de Operações de Defesa Interna (DOI-Codi). Ao proclamar o voto, Bolsonaro chamou Brilhante Ustra de “pavor de Dilma Rousseff”.

O protesto no Anhangabaú contou com o apoio e a presença de representantes da União Nacional dos Estudantes (UNE) e da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES) e de outros movimentos estudantis. “Este ato foi convocado por estudantes, pela internet, e a UNE decidiu apoiar o movimento. O ato vocaliza um pouco desse sentimento que está presente na juventude de uma injustiça muito grande que está acontecendo, o impeachment, com a desmoralização do Congresso Nacional no domingo, já que eles não são legítimos para convocar e conduzir o impeachment. Por isso, este impeachment é um golpe”, disse Carina Vitral, presidente da UNE, em entrevista à Agência Brasil.

Embora tenham manifestado, inicialmente, a intenção de permanecerem no Anhangabaú, de lá eles caminharam até a Avenida Paulista, no início da noite, e fizeram parada em frente à Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), onde manifestantes de um grupo pró-impeachment está acampado desde meados de março. O encontro deu-se, porém, de forma pacífica.

Fonte: RBA – Rede Brasil Atual

Categorias: Ámérica do Sul, Saúde
Tags: , , , ,

Boletim diário

Digite seu endereço de e-mail para assinar o nosso serviço de notícias diárias.

Pesquisa

Informe Pressenza

Informe Pressenza

Caderno de cultura

Caderno de cultura

O Princípio do fim das armas nucleares

Documentário 'RBUI, o nosso direito de viver'

Canale YouTube

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

Arquivo

xpornplease pornjk porncuze porn800 porn600 tube300 tube100 watchfreepornsex

Except where otherwise note, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International license.