Malhação tentou construir mundo imaginário sobre as Escolas em Luta

01.03.2016 - São Paulo, Brasil - Redação São Paulo

Malhação tentou construir mundo imaginário sobre as Escolas em Luta
(Crédito da Imagem: Jornalistas Livres)

Sem violência policial e com a pauta da reorganização escolar sendo jogada para escanteio, Globo é como sempre campeão do troféu bizarrice da TV brasileira

por vitoriotomaz, para Jornalistas Livres

Nesta segunda (29), dia de ser #FelizSemGlobo, hashtag que ficou nos Trend Topics do Twitter e que deu nome ao protesto realizado hoje, por esta e outras redes sociais contra o império da família Marinho, a Rede Globo exibiu um episódio da série ‘Malhação’ que ‘tentou’ mostrar estudantes ocupando uma escola fictícia chamada Dom Fernão, nome coincidentemente parecido com o nome da E. E. Fernão Dias, uma das primeiras escolas estaduais de SP que iniciaram a luta contra a reorganização escolar imposta pelo tucano Alckmin.

O esforço foi na direção de querer encenar o que muitos estudantes sentiram durante todos os dias da ocupação da vida real: o temor da violência policial. Indo na contramão da realidade, a versão romântica das Escolas em Luta composta pela Globo ficou piegas mas nada surpreendente para os moldes do PIG.

Para contextualizar o roteiro da série: lá na ocupação da Dom Fernão não houve abuso policial. No roteiro do universo adolescente da série, a “luta” , em segundo plano, era sim por uma possível reorganização imposta pelo governador, mas o grande objetivo da turma era impedir a demolição do prédio e evitar assim, a instalação de um parque no local.
Tá confuso pra você? Pra nós também ficou. E pasmem, não acabou por aí. Professores da escola discutiam o suposto projeto real de Geraldo Alckmin. Diziam acreditar que a ação de separar alunos por ciclo seria boa e tinham como única objeção o pouco tempo entre a proposta e sua execução.

Foto Jornalistas Livres

Foto Jornalistas Livres

As reconstruções simbólicas ficam escondidas, em pequenos trechos, quase imperceptíveis.
Mas as peças se encaixam de uma maneira cruel. Tudo isso por que, as semelhanças com a realidade em figuras de linguagem, cenários e a pauta ornaram um cenário que para os mais distraídos, ou para aqueles que não possuem minimamente qualquer contato com formação política passa com nota 10 pelo entendimento da realidade das verdadeiras Escolas em Luta. Quem acompanhou a luta da vida real não se engana.

Fatos e cenas

1. Cena: Logo no começo do episódio,um pequeno atrito entre estudantes. Discussão sobre um deles não pertencer ao Dom Fernão e sim um “playboyzinho de uma escola particular”. Fato: no início das ocupações, a própria Rede Globo sustentou esse tipo de argumento em suas reportagens para deslegitimar o movimento

2. Cena: a presença policial no episódio não é nada ostensiva. Deu para contar: no máximo 10 policiais, todos sem arma de fogo. Fato: na E.E. Fernão Dias, os estudantes sofriam diariamente com um forte contingente na porta da escola. Policiais armados até os dentes, alguns deles, inclusive com armas de grande porte: submetralhadoras e afins.

Foto Jornalistas Livres

Foto Jornalistas Livres

3. Cena: Em todo o tempo, dada a possibilidade de conflito, há temor por uma ação repressiva da Tropa de Choque, mas não se questiona o real papel da policial ali presente, a justificativa é simples e leve: “estão apenas cumprindo ordens”.  Fato: Nas escolas em Luta, o clima diário era repleto de temor com abuso policial, intimidações e, até mesmo, invasões sem a devida “ordem a ser cumprida”.

5. Cena: Os ‘policiais do Choque’ não usam identificação,no entanto, isso não foi encarado como algo que deveria ter sido questionado.

6. Cena: O oficial de justiça entrega para a ‘Tropa de Choque’ a ordem de suspensão da construção do um parque no local. A licitação para a construção da praça teria ocorrido de maneira irregular. Eliminada a possibilidade de demolição da escola e, a ordem de desocupação, os estudantes comemoram vitória. E a reorganização continua.

Foto Jornalistas Livres

Foto Jornalistas Livres

O fato nada surpreendente, é que a Globo tentou desvincular o movimento das Escolas em Luta da vida real, de seu objetivo principal, mudando o foco para a questão da corrupção entre licitações e construtoras, assunto totalmente ligado a Lava Jato.

Faltou dizer que o governador da novela é um homem honesto, que nunca desviou dinheiro do Metrô ou da Merenda, e que na verdade a culpa é da Dilma. E por falar em merenda, vamos aguardar a encenação do episódio da máfia das merendas na Malhação, pois, certamente, essa hora vai chegar.

Fim

Foto Jornalistas Livres

Foto Jornalistas Livres

Categorias: Ámérica do Sul, Direitos Humanos, Educação, Política
Tags: , , , , , ,

Boletim diário

Indique o seu e-mail para subscrever o nosso serviço diário de notícias.


Milagro Sala

Canale youtube

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

Arquivo

Except where otherwise note, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International license.