Resolução apresentada pela UNASUL à OEA

11.06.2014 - Redacción Ecuador

This post is also available in: Espanhol

Resolução apresentada pela UNASUL à OEA
A América Latina reafirma a importância de fortalecer o Sistema Interamericano de Direitos Humanos (SIDH), ao apresentar um projeto de resolução dividido em cinco parte, que conta com o respaldo de nove países.

O ministro de Relações Exteriores e Mobilidade HUmana, Ricardo Patiño, destacou também o interesse de declarar como território de paz os países membros da Organização dos Estados Americanos (OEA). Da mesma forma reiterou o respaldo aos diálogos de paz na Colômbia e Venezuela.

O projeto de resolução conta com o respando de Argentina, brasil, Bolícia, Chile, Colômbia, Paraguai, Peru, Uruguai e Equador. “Insistimos na importância de fortalecer o Sistema, apesar de que algumas pessoas distorcerem o sentido do que dissemos, queremos fortalecê-lo, mas para isso temos que mudá-lo, porque há uma série de inconsistências, que enquanto não se resolvem, geram dificuldades”, afirmou o chanceler Ricardo Patiño.

A respeito disso, o ministro Ricardo Patiño afirmou que, junto com o chanceler da Venezuela, Elías Jaua,  se o Sistema realmente se transformar e começar a funcionar adequadamente, com coerência e de forma objetiva, seu país estaria disposto a voltar atrás.

No terceiro ponto da resolução, os países da Unasul solicitam ao Secretário Geral consultem os Estados que não fazem parte da Convenção Americana de Direitos Humanos, a fim de encontrar e concretizar as soluções técnicas e jurídicas que superem sua não incorporação.

Da mesma forma, foi apresentado à Organização dos Estados Americanos, que as sessões da Comissão Interamericana de Direitos Humanos possam acontecer fora de sua sede e particularmente em Estados parte. À respeito disso, o chanceler Ricardo Patiño destacou que foi oferecido do México, Uruguai, Paraguai e Chile para que se faça nesses países, “e isso também é ótimo, porque é uma maneira de avançar para uma mudança de sede no futuro”.

Sobre a mudança de sede, o Ministro Patiño esclareceu que pretende aprofundar no debate.

A respeito dos sistemas de relatórios, o objetivo é que o Conselho Permanente da OEA chame a CIDH para um diálogo específico sobre o tema. “Dissemos com clareza, os direitos humanos são interdependentes, têm igual valor, não podem ser discriminados. Por isso, é urgente uma revisão do sistema de relatórios. Esse seria um primeiro passo em direção ao fortalecimento, mas também em direção à transformação do sistema”, concluiu.

Por fim, afirmou que está sendo discutida a declaração da OEA como território de paz. “Já o fizemos com a Unasul, Alba, Celac, agora queremos o mesmo para OEA, queremos ser um território de paz. Queremos que não haja armas nucleares, nem de destruição em massa. Queremos continuar sendo um continente de paz”, afirmou o chanceler.

Categorias: Direitos Humanos, Internacional, Nota de imprensa, Paz e Desarmamento

Boletim diário

Indique o seu e-mail para subscrever o nosso serviço diário de notícias.


Milagro Sala

Canale youtube

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

Arquivo

Except where otherwise note, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International license.